quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Catarinense 2013: Atlético de Ibirama

CLUBE ATLÉTICO HERMANN AICHINGER
Fundação: 20 de setembro de 1951
Cores: Grená e Branco
Estádio: Hermann Aichinger - 5.000 pessoas
Presidente: Genésio Ayres Marchetti
Técnico: Mauro Ovelha
Ranking "BdR" 2012: 7o. Lugar
Catarinense 2012: 6o. Lugar



Historicamente, o Atlético de Ibirama sempre incomoda. Nunca, na história recente do Campeonato Catarinense, o time da cidade dos belos panoramas de pouco mais de 17 mil habitantes montou times fracos a ponto de brigar pelo rebaixamento. Pelo contrário. Duas vezes vice-campeão estadual, o Hermann Aichinger é uma pedra no sapato dos grandes, principalmente dentro do Estádio da Baixada. E este ano, a situação não será diferente. O presidente e patrono do clube, Genésio Ayres Marchetti, que perdeu a eleição para a prefeitura da cidade no ano passado, talvez tenha feito o maior investimento de todos os anos à frente do clube, sem ainda contar com os tão esperados milhões de uma eventual venda do atacante Leandro Damião, o qual tem uma boa parte dos direitos econômicos, para o futebol europeu.

E ele está de volta pra casa. Morador de Ibirama, Mauro Ovelha retorna ao clube onde começou a aparecer como treinador, depois de uma boa passagem na Chapecoense, e outras nem tanto no Joinville, Avaí e Caxias. Talvez a sua volta para o Atlético seja uma oportunidade de ganhar um novo gás, depois das últimas passagens turbulentas por Florianópolis e Caxias do Sul. Inegavelmente, a dupla com Marchetti traz bons resultados e fortes equipes. Com um orçamento interessante, Ovelha tem a oportunidade de montar um time com as suas características: experiente, com jogadores rodados e de sua confiança, que marque forte e não tenha medo dos adversários.



O torcedor verá em campo uma verdadeira seleção de jogadores que retornam ao clube, como o goleiro Paulo Sérgio, ganhador do título de melhor goleiro do último Gauchão, o zagueiro Jajá, o volante Xipote, o atacante Adriano e o meia Kilder. Juntam-se a eles jogadores que tem uma longa ficha de serviços prestados no futebol catarinense, como os zagueiros Dema e Neguete, vindos da Chapecoense, o também defensor Marcelo Bolacha, ex-Chapecoense e JEC, o volante Fabiano Silva, ex-JEC e Figueirense, e aquele que promete ser o cão de guarda do meio-campo: o bom volante Carlinhos Santos, 28 anos, ex-Joinville e Criciúma, que conheceu como poucos as dificuldades de enfrentar o Atlético. E agora, defenderá as cores grená e branco: "Sempre que eu vinha jogar aqui era complicado. Agora posso usar a meu favor. Se fizermos a lição de casa, certamente vamos arrancar pontos fora", disse Carlinhos.

Diante das fichas dos jogadores, dá pra desenhar como o Atlético jogará no Estadual sob o comando de Ovelha. Se vai ser forte a ponto de brigar pelo título, aí já é outra história. Dependerá de uma série de fatores, incluindo aí o preparo físico do time. Certo é que o time é o favorito para conquistar a vaga na Série D do Brasileiro. E sem contar que, se o clube precisar de algum reforço de última hora, o presidente está a postos para atender o treinador. O Atlético não brinca em serviço.


Nenhum comentário:

Postar um comentário