sábado, 12 de janeiro de 2013

Catarinense 2013: Joinville

JOINVILLE ESPORTE CLUBE
Fundação: 29 de janeiro de 1976
Cores: Vermelho, Branco e Preto
Estádio: Arena Joinville  - 20.000 lugares
Presidente: Nereu Martinelli
Técnico: Artur Neto
Ranking "BdR" 2012: 3o. Lugar
Catarinense 2012: 4o. Lugar



Entre os chamados clubes grandes do Estado, o JEC é o que tem o maior tabu: não vence o Estadual desde 2001, quando o time de Adão, Selmir, Perdigão e Perivaldo venceu duas vezes o Criciúma para dar a volta olímpica. Nesse tempo todo, o clube passou por momentos bons e ruins. Nos últimos anos, o tricolor de Joinville mostrou um franco crescimento, com o acesso da Série D para a B em dois anos. Em 2012, o time fez um Estadual razoável e cumpriu a sua missão no Brasileiro com louvor: o discurso era de se manter na Série B e objetivo foi alcançado. Sem dúvida, o Joinville alcançou um nível de maturidade que o faz apagar as tragédias do passado e dá boas esperanças para o futuro. E um dos responsáveis por isso é o presidente Nereu Martinelli, que é um dos meus dirigentes favoritos. Fala o que pensa, não hesita em dispensar um jogador que lhe trai com a palavra e que conseguiu um número recorde de patrocinadores para o clube. É ele que contrata os jogadores (o clube não tem diretor de futebol). "Excluí isso do meu quadro, porque se alguém tiver que assumir essa responsabilidade, boa ou ruim, eu assumo", disse o presidente tricolor.


O JEC, que teve Argel Fucks no Estadual e Leandro Campos por boa parte da Série B, aposta em Artur Neto para tirar o time da fila de 12 anos no Campeonato Catarinense. Curiosamente, Artur, carioca de 57 anos, foi o comandante daquele time que, ainda mandando seus jogos no velho Ernestão, conquistou os últimos canecos tricolores (ele também treinou o time em 2000, no título conquistado contra o Marcílio Dias).  Já treinou o Figueirense e o Criciúma aqui no Estado, além de uma longa lista de clubes pelo Brasil. Ele entra no Campeonato tendo que administrar uma natural pressão devida ao grande jejum no torneio local, mas com a responsabilidade de montar um time que entre de vez na briga pelo acesso à Série A.


E na preparação para 2013, o JEC tratou de reforçar os setores mais carentes do elenco, além de repor a saída de importantes jogadores, como o zagueiro Maurício e o volante Leandro Carvalho. Ficam importantes titulares, como o lateral-direito Eduardo, o goleiro Ivan e o atacante Lima (foto), o artilheiro do time, que já marcou 122 gols com a camisa tricolor, e que pode ultrapassar Nardela (que fez 130) como o maior goleador da história do Joinville. O atacante, que divide opiniões junto à torcida, é a principal referência ofensiva do clube. Das novas contratações, destaque para o zagueiro Rafael, vindo do Avaí, o volante Augusto Recife, ex-Cruzeiro e o bom meia Marcelo Costa, ex-São Caetano. Juntando com os remanescentes do time atual,  Artur Neto tem um elenco bastante competitivo para encarar o Estadual. Para a Série B, a história é outra. Mas aí vai ter tempo para reforçar mais o time.

O Joinville, puxado pela sua torcida que vem fazendo uma excelente média de público nos jogos na Arena, faz jus a sua condição de time grande do Estado e pode ser considerado um favorito ao título. Mas para confirmar esse favoritismo, é necessário que Artur Neto faça o time encaixar em campo, principalmente no que diz respeito ao sistema de marcação e na criação de jogadas para Lima. Se conseguir resolver essa equação, a chance do JEC sair da fila do título estadual, que já dura uma década, é grande.


Nenhum comentário:

Postar um comentário