domingo, 17 de março de 2013

Chega Ricardinho e sai Pingo

No sábado em que o Ibirama foi a Criciúma dar a Vadão uma amostra do pepino que ele terá que descascar até a Série A e que o Guarani começa uma caminhada para a recuperação no campeonato depois de vencer o Metropolitano, a dança dos técnicos e a crise do Juventus tomou conta do noticiário.

Henrique Porto / Avante!
O Juventus não tem mais Pingo no comando técnico. A crise financeira do clube, que fez um bom primeiro turno, chegou no auge. O agora ex-técnico chegou a dizer que atletas deixaram o clube durante a madrugada, e não há 11 jogadores disponíveis para enfrentar o Camboriú (fatalmente, os "fujões" vão conseguir liberação automática pelo atraso de salários). E pasmem, mais uma história para o conturbado Chevetão 2013: o presidente Jerri Luft vai treinar o time. Para tudo que eu quero descer. Mais uma história que vai repercutir nacionalmente e se juntar aos causos do campeonato. O Juventus vai precisar de muita sorte para tentar escapar do rebaixamento com a pequena gordura que tem. Se os jogadores do Jaraguá, da terceira divisão do Estado, vão ajudar, só Deus sabe. Pingo nem vai se despedir. Já deixou o clube e, segundo o pessoal do sul do Estado, vai assumir o Atlético Tubarão, que estreia em maio na segundona. Isso se não aparecer algum convite maior antes, né?

E saiu fumaça branca no "Conclavaí". Ricardinho, recém-demitido do Ceará, foi o escolhido. Pelo twitter, lembrei o nome dele para sentir o termômetro da torcida. Ninguém gostou. Mas há de se olhar a situação: com a grana curta, não dava para trazer Silas ou PC Gusmão, nomes que circularam. Além disso, o próprio Silas, quando chegou à Ressacada em 2008, foi alvo de desconfiança. Antes de tomar conclusões, tem que deixar Ricardinho trabalhar. E dar condição de trabalho pra ele. Com um elenco de baixa qualidade, que tem um jogador que, sozinho, carrega o piano, não tem milagreiro que resolve. Aí voltamos ao problema financeiro: em um momento de mercado fechado, jogador só vai chegar se for tirado de outro clube. Ou paga pra tirar ou espera a Série B chegar, para arrumar a casa. Nesse planejamento que a diretoria avaiana pode estar pensando. Ricardinho chega com a missão de arrumar o time pro Brasileiro. Cobrar algo dele no Estadual é maldade, com um dos piores elencos da história avaiana nas mãos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário