quarta-feira, 28 de agosto de 2013

JEC e Chapecoense vencem e convencem. E o Figueirense tem Neneca

Superesportes.com.br 
Três catarinenses jogaram fora de casa nesta terça, e dois venceram. Bom desempenho, e ainda mais com duas vitórias convincentes.

Começando com o jogo que vi. O Joinville mostrou mais volume de jogo que o América-MG e mereceu a vitória no Independência, com dois gols de oportunismo de Lima, atacante que conhece do assunto e sabe se posicionar como poucos. Um time que venceu com uma escalação bem diferente, com Ricardo Drubscky reforçando a marcação com Marcos Winicius no meio e Bruno Costa, um zagueiro, deslocado pra lateral esquerda. Com a bola rolando, deu pra entender a tática: buscar um equilíbrio defensivo no time, para que a turma da frente não se preocupasse em voltar. Os buracos das laterais acabaram fechados, e a dupla Wellington Bruno - Marcelo Costa pode trabalhar em paz. Aí Lima deu um jeito de garantir a vitória no segundo tempo.

Constatações interessantes que trazem esperanças ao torcedor tricolor: a zaga não toma gols há três jogos (Diego Jussani parece estar recuperando o futebol perdido), Lima está em boa fase, com Edigar Junio sendo, finalmente, um bom companheiro de frente, e a tabela traz a esperança do time entrar com tudo no G4 nas cinco próximas rodadas, onde só enfrenta times da parte de baixo da tabela. O JEC ainda não é uma maravilha, não se compara aos líderes. Mas achou um caminho, e está encontrando opções. Vai achando uma sequência para tentar o bote no sprint final.

Em Natal, a Chapecoense fez o que lhe era esperado. Contra um time desesperado, não se apequenou e venceu por 1 a 0, gol de André Paulino. Chama a atenção o fato do time manter o poder de fogo sem Bruno Rangel e Athos, com várias opções de jogadas. Como disse um tempo atrás, agora o time de Gilmar Dal Pozzo tem que partir pra cima dos outros como um time grande e temido. E contra times fracos, tem que patrolar. E o resultado derrubou Argel Fucks, que ficou apenas alguns dias em Natal. E como o Mecão contratou Pintado como seu substituto imediato, parece que o caminho é para a Série C.

Por fim, o Figueirense, que perdeu para o ASA. Sem analisar o jogo todo, me fica uma dúvida: o que o Figueira quer com um goleiro como Neneca, que nunca foi destaque em lugar nenhum, dispensando os serviços de Wilson (pegando muito no Vitória), Ricardo (mandado pro Icasa) e Volpi? Ele é a melhor opção hoje? Em Arapiraca, mostrou que não, falhando e ajudando no resultado. Contra times assim, não se perde ponto. Pode fazer falta lá na frente. E parabéns pra quem contratou um goleiro de tão baixa qualidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário