sábado, 14 de setembro de 2013

Ao seu jeito, Chapecoense e Joinville preparam o sprint final

Cada qual no seu estilo, a Chapecoense e o Joinville vão se preparando para os jogos finais da Série B, que vão definir de vez o acesso. Seja com o futebol total e ofensivo lá do Oeste ou no jogo pragmático e de resultados do Norte, as duas forças do interior na segundona crescem, acumulam gordura e vão se preparando para as lutas finais rumo à Série A.

Começando com o Joinville, que venceu o ASA. Aos poucos, vou entendendo as lógicas de Ricardo Drubscky: jogar de acordo com o adversário, com precaução maior fora de casa e, aos poucos, detectando as brechas e tentando marcar gol por ali. O time chega à sexta vitória em sete jogos assim: sem dar espetáculo nem banho de bola, e forte marcação. Em Arapiraca, o primeiro tempo foi sofrível. No segundo, Edigar Júnio entrou no lugar de Ronaldo, e aproveitando uma bela jogada de Hernani, mandou para a rede. A única grande chance foi aproveitada, e depois disso o time se deu ao luxo de brecar os contra-ataques para prender a posse de bola lá na frente. Esse vai ser o estilo Drubscky, um puro futebol de resultado. Dá até para um amante do bom futebol questionar, é verdade. Mas como está funcionando, os resultados estão vindo e a sorte ajudando com os resultados paralelos, não tem do que reclamar. Nunca o Joinville esteve tão próximo da Série A.

E depois, a Chapecoense não tomou conhecimento do São Caetano, aplicando 6 a 2. Para quem tinha achado que a máquina verde estava dando sinais de que poderia dar problema, vem um resultado desse para dar o recado que a pequena baixa era apenas um acidente de percurso. Um jogo fácil de um time que tem um entrosamento acima do normal, com jogadores focados e um técnico que tem o elenco nas mãos. O bonde segue com o Verdão irresistível.

E nas redes sociais um assunto em especial é cada vez mais falado: será que teremos três do interior na Série A a dupla da capital na B em 2014? É esperar pra ver.


Nenhum comentário:

Postar um comentário