sábado, 21 de setembro de 2013

Avaí soube ler os defeitos do JEC para vencer na Arena

Luciano Moraes / Notícias do Dia
Apenas jogar bem não basta para vencer uma partida. Saber analisar os defeitos do adversário e investir naquele caminho é, por muitas vezes, uma saída inteligente. E esse foi o caminho que o Avaí trilhou para bater o Joinville na Arena. Encontrou as falhas, jogou por ali e fez 2 a 0, sobrevivendo na luta pelo acesso.

Os erros que ajudaram o Avaí a vencer vem da inexplicável cabeça de Ricardo Drubscky, técnico do Joinville. Eu não entendo: o time vem rendendo bem, conquistando pontos sem dar espetáculo e, do nada, ele inventa Ricardinho, jogador cujo futebol está bem aquém do esperado, como titular. Em 34 minutos, ele viu o tamanho da lambança que fez e queimou uma troca, colocando Liguera. E teve o lance do pênalti, que mudou o jogo. Todo mundo sabe que o batedor oficial do time é Marcelo Costa. Drubscky deixou Lima bater e a bola foi na trave.

Aí, o Avaí foi achando espaço, principalmente na direita, onde Eduardo deixava muito espaço nas suas costas. Sem uma marcação eficiente, Héracles deitou e rolou por ali, deixando a zaga em situação complicada. Some-se aí os erros de Sandro, e o Leão fez 2 a 0. Liguera fez um gol no final, mas tarde demais em uma noite em que tudo deu certo para um, e muito errado para outro.

Lições do jogo: para o Joinville, fica o recado para o treinador que o importante em uma boa campanha é a sequência. Não é a primeira vez que ele tira coelho da cartola na escalação inicial que não dá certo. A gordura do tricolor acabou, e o time vai precisar, de novo, buscar pontos fora de casa, preferencialmente na semana que vem, contra Sport e Chapecoense.

Já o Avaí ganha uma boa vitamina para ainda sonhar com a Série A. Vencer o JEC, sem Marquinhos, debaixo daquela chuva, dentro da Arena, não é pouca coisa. Ainda que os próximos jogos não acontecerão naquela situação, a motivação dessa vitória é enorme.

Um comentário:

  1. Discordo em parte. Primeiro que o jogo terminou 2 x 1. Segundo que com o gramado naquelas condições nao se tem como falar em estratégia. Terceiro que se o Jec marca o gol com 1 min de jogo, nao daria chance pro Avaí sequer tentar impor sua estratégia. Ia ter que se abrir e bem provável que levaria mais uns gols no contra ataque.

    ResponderExcluir