segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O "Fator Aeroporto" que mexe na Série B

Aeroporto de Chapecó hoje a tarde / Foto: Renan Agnolin
E mais uma vez, o fechamento do Aeroporto Serafim Bertaso, de Chapecó, mexe com a tabela da Série B do Brasileiro.

O Figueirense, que por várias e várias vezes encarou a BR-282 para jogar no Índio Condá, não conseguiu descer no Oeste hoje, não quis ir de ônibus, reclamou para a CBF, e conseguiu o que queria: jogou a partida para 22 de outubro, daqui a mais de um mês.

Muda muita coisa: até lá os times estarão em outro momento. Enquanto a Chapecoense poderá carimbar o acesso nesta partida atrasada, o Figueirense poderá já estar em ritmo de férias ou brigando por alguma coisa. A Chape queria a partida na quarta, e perdeu a queda de braço.

Em todos os campeonatos da CBF, é o único caso em que rodadas são transferidas por causa de fechamento de aeroporto. A própria Chapecoense, na primeira rodada, teve que ir de ônibus até Curitiba para embarcar rumo a Varginha. Com os adversários, o tratamento é diferente. Isso precisa ser de alguma forma revisto para não acontecerem tantas alterações de tabela. Eu mesmo já fui vítima do aeroporto fechado, cheguei a sobrevoar a cidade, voltei e peguei o ônibus em Florianópolis. A Prefeitura Municipal, que administra o local, precisa ver alguma maneira de instalar aparelhos que permitam o pouso com menor visibilidade.

E pensando em Série A em 2014, esse problema terá que ser solucionado, pois a exigência de horários, com calendários bem mais apertados, é muito maior. E a CBF precisa apertar a marcação: se não tiver teto, o jeito é o voo rasteiro. Se durante décadas os times que iam a Chapecó fizeram isso, porque não podem fazer o mesmo agora?


Um comentário:

  1. Muito bom, concordo plenamente. Quando a Chapecoense tinha que viajar de ônibus sempre esteve tudo certo. Agora porque as bonecas não podem viajar? Isso ai é pura lorota e má vontade. Como você mesmo falou, se sempre fizemos isso, por anos e anos, porque não podem os outros viajar de ônibus também!

    ResponderExcluir