domingo, 6 de outubro de 2013

Arbitragem acende a Chapecoense, que vira o jogo e afunda o JEC

Aguante Comunicação
Não tem como analisar um jogo tenso como Chapecoense x Joinville sem falar do "antes" e do "depois" da arbitragem. Afinal, o JEC vinha controlando a partida na Arena Condá com relativa tranquilidade, com a torcida quieta e o tempo correndo bem. Aí, Paulo Cesar de Oliveira inventou um pênalti, o time verde acreditou na vitória, acordou a torcida, e a virada aconteceu em um belo contra-ataque iniciado e terminado por Bruno Rangel.

Sem dúvida a importante vitória do Verdão passa pelo erro de arbitragem, mas não foi só isso. Faltou ao Joinville criar mais quando era melhor no jogo. O atacante Lima bateu pesado ao declarar que "Eles (Chapecoense) tem dois meias, a gente não". É um recado de quem perdeu as chances que tinha e precisava descarregar em algum lugar. Mais uma vez, o tricolor mexeu muito na escalação e voltou a mostrar falta de entrosamento e padrão, ainda que o time tenha funcionado satisfatoriamente no primeiro tempo.

A Chapecoense estava envolvida na marcação. Bruno Rangel pouco fez até marcar o gol de pênalti, e o cenário colaborava para um resultado bom para o Joinville. Mas tudo mudou com o auxílio da arbitragem que não deu a vitória para o time da casa, mas ajudou time e torcida com uma motivação extra que terminou em um gol aos 44 minutos, quando o camisa 9 tirou uma bola na defesa em bola cruzada, e correu para o outro lado para marcar o gol.

Resultado que é mais um passo da Chape rumo à Série A, e que complica ainda mais a situação do Joinville, que cai mais um pouco na classificação e vê outros concorrentes se juntarem em um bolo que disputa duas vagas na elite. Com dois jogos em casa em uma semana, o time do JEC ainda tem chance. Mas o tempo passa e não vai mais permitir testes nem adaptações. Hora do último esforço adicional se o time não quiser ficar mais um ano na B.


Nenhum comentário:

Postar um comentário