sábado, 12 de outubro de 2013

Com frieza, Chapecoense cala a Ressacada e está quase lá

Aguante / Chapecoense
A Chapecoense soube enfrentar a pressão da Ressacada lotada (mais de 17 mil torcedores) e do time do Avaí em campo para conseguir mais três importantes pontos rumo ao acesso, que se torna questão de tempo e pode sair nos três jogos seguidos que o time tem pela frente na Arena Condá.

Veja o que é o futebol: depois de um primeiro tempo forte, onde a Chape fez 1 a 0 num belo gol de Tiago Luis, o Avaí lutou muito para chegar ao empate, com Cléber Santana. O mesmo Cléber, que falhou duas vezes seguidas no segundo tempo para dar o contra-ataque ao adversário, que usou um deles para fazer o segundo, com Fabinho Gaúcho.

E aí aparece o talento do técnico Gilmar Dal Pozzo: a Chapecoense teve uma frieza gigantesca. Sabia o que tinha que fazer, não baixou a guarda. Marcou forte, segurou o Avaí, deixou a opção do contra-ataque aberta e garantiu a vitória. Assim como na vitória contra o Joinville e o empate em Belo Horizonte, o time verde não se abala quando toma gol. Gilmar montou um time totalmente blindado. Tá certo que o Avaí também colaborou um pouco, contando com um Reis no ataque totalmente fora de compasso.

Marquinhos foi feliz em dizer que o Avai não pode fazer terra arrasada com essa derrota. Não perderam pra ninguém, apenas para um dos dois melhores times do campeonato. A fase e o time da Chapecoense estão acima disso. É o tipo de equipe que pode não dar certo com as peças separadas no ano que vem, mas que em 2013 fechou direitinho. Com três jogos seguidos em casa pela frente (Ceará, Sport e Figueirense), Chapecó pode preparar a festa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário