terça-feira, 22 de outubro de 2013

Empate bom para a Chapecoense, péssimo para o Figueira

Aguante / Chapecoense
Analisando as circunstâncias do jogo: a Chapecoense tinha nesse jogo atrasado contra o Figueirense a chance de ganhar mais uma gordurinha para garantir o acesso. O adversário precisava vencer a todo custo, ainda mais depois da derrota em casa pro Joinville.

Aí, com a bola rolando, isso não aconteceu. O Verdão adicionou um importante pontinho à sua conta, é verdade. Mas o Figueira jogou como se não precisasse vencer. Muita marcação, time fechadinho e chegando no contra-ataque. Foi em um deles que Rafael Costa empatou a partida, e só.

A Chapecoense está numa fase delicada, mas como tem uma larga vantagem para administrar, não é algo que cause grande preocupação. Mais um jogo sem vitória, terceiro empate seguido em casa, mas mesmo assim, com mais duas vitórias o time cumpre a missão e carimba vaga na Série A. Sem Bruno Rangel e com um ataque sem inspiração, o time até criou, faltando aquele quê a mais para passar por Tiago Volpi. Ainda mais, sem ver o Figueirense pressionando, era só ter mais cuidado com as jogadas de ataque e fazer igual ao primeiro gol, que teve jogada trabalhada por Potita, Athos e Rodrigo Gral.

Por outro lado, estou tentando ainda entender o que Vinicius Eutrópio queria para o jogo de Chapecó. Qualquer coisa, menos vencer a partida a todo custo, como ele precisava. Montou um time burocrático, sem nenhuma novidade em relação ao jogo contra o JEC, quando abusou de bola aérea em cima de uma defesa bem postada. Não se viu uma jogada trabalhada pelo time, ou alguma coisa nova que desse para dizer que o time estava focado na busca da vitória. Saiu atrás do placar em uma falha (mais uma) na bola aérea e só foi achar o empate em um contra-ataque que serviu para Rafael Costa marcar. Muito pouco para quem quer sonhar com o acesso.

Agora, o alvinegro chega na mesma situação do Joinville: ganhar tudo o que vem pela frente e ver no que dá. Com o perigoso Icasa pela frente lá em Juazeiro e o clássico depois, é complicado acreditar em algo novo. Ousadia é a palavra que faltou para o Figueirense. Mas pelo jeito, Eutrópio não sabe o significado.


Um comentário:

  1. Péssimo ?
    Para o torcedor foi um grande alívio, pois com um time ruim desses, qualquer pé de galinha é uma janta.
    O time saiu de Florianópolis esperando a goleada, o empate foi mais que uma vitória para o Figueira.
    Pela posição na tabela, a Chapecoense tinha a obrigação de vencer.
    Então, "vitória" do Figueirense.

    ResponderExcluir