quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Festa merecida na Ressacada e vexame histórico na Arena

A rodada de terça teve a Chapecoense conquistando um bom empate em Minas, e o Figueirense tomando goleada do Palmeiras em Londrina. Convenhamos que perder para o líder do campeonato não é demérito. Mas do jeito que foi, preocupa. O Figueira perde mais distância do G4 e vê seu arquirrival entrar na zona de acesso em um momento importantíssimo.

Não vi o jogo, mas para vencer o Sport, time de investimento infinitamente superior e candidato ao acesso, não é pouca coisa. Hemerson Maria conseguiu encontrar a melhor equação do Avaí para sair da 18a. colocação na décima rodada ao grupo dos quatro primeiros meses depois. O time avaiano chega ao topo em um momento importantíssimo, onde inicia a arrancada final e os times precisam estar no seu melhor para a briga das últimas rodadas. Hora do torcedor apoiar nos próximos jogos, que serão decisões. A chance está nas mãos.

Em Joinville, a situação é totalmente inversa. O JEC conseguiu perder para o ABC com dois homens a mais em campo, perdendo pênalti, chances de gol e tomando um gol de contra-ataque de um time que havia abandonado a ideia de atacar. Junte-se aí jogadores que brigam com a torcida, um treinador que não estabelece uma coerência nas suas escalações e formações, e você tem um time em crise. Ricardo Drubscky fatalmente será demitido nesta quarta-feira, como deu a entender o presidente Nereu Martinelli.

Hora do tricolor fazer um auto-exame e escolher: ou já foca em 2014 ou pensa em um último esforço para tentar o acesso, que já esteve muito perto, mas hoje está muito distante. Enquanto times como o Avaí se acertam, o Joinville patina e consegue piorar, não só na parte técnica como no elenco, que não vive seus melhores dias, como vem sendo demonstrado nas últimas declarações. E o torcedor, que vivia o sonho da Série A, está revoltado com a realidade de mais um ano na B. Ainda dá tempo, mas está cada vez mais complicado.


Nenhum comentário:

Postar um comentário