sábado, 2 de fevereiro de 2013

JEC em chamas vence, mas não convence

Luciano Moraes / Notícias do Dia
O Joinville hoje é um caldeirão fervendo. Desde a derrota para o Camboriú, o clima lá no Morro do Meio anda terrível. Antes do jogo, o presidente Nereu Martinelli trouxe a sua insatisfação, o técnico Artur Neto não deu entrevista, e chegou a notícia que Lima teria pedido um estranho afastamento de dez dias "para aprimorar a parte física". Sem querer duvidar mas já duvidando, é complicado acreditar nisso.

E no campo, o JEC venceu o Ibirama jogando muito mal. Aliás, uma partida fraquíssima. O Atlético retrancado pegou um Joinville desorganizado, que não tem a capacidade de criar uma jogada de qualidade. O primeiro gol veio a sair no primeiro tempo em uma bola parada para Jussani, e o segundo num gol de pênalti sofrido pelo mesmo zagueiro. Venceu e não convenceu, e já estamos na quinta rodada.

Terminada a partida, Artur Neto escancarou a crise, deixando claro que não se dá com Lima, e dá pra perceber que o grupo também está dividido. Ao fim do jogo, o lateral Eduardo deu uma de advogado do centroavante e dedicou a vitória a ele, deixando claro que tem gente lá dentro que está insatisfeita com toda essa situação.

Uma hora a corda vai arrebentar, só não se sabe de que lado. Certo é que um time campeão não pode ter uma crise interna desse tamanho. E se quiser ver o JEC na final, é bom Nereu Martinelli trabalhar. O jogo de hoje serviu pra mostrar pra todo mundo que não está nada tudo bem. Artur Neto forçou a barra, dizendo que "o time fez uma ótima partida". Não sei que jogo ele viu. Os mais de 6 mil torcedores presentes na Arena não pensam o mesmo, eu acho.

Zé do Gol se vai

Ele já não é unanimidade no Criciúma há algum tempo, mas tem uma história a se respeitar. Foi o homem que deu a maior colaboração no acesso à Série A. Foram 57 gols em 71 jogos pelo Tigre, números importantes. Mas uma proposta irrecusável do futebol chinês, aliado ao desgaste causado pela "cabeça quente" do jogador, que atingiu um adversário com uma cusparada em Xanxerê, só agilizou o processo.

Zé Carlos agora é passado no Criciúma. O time que dependia do seu camisa 9 em muitas situações não contará mais com essa ajuda. Paulo Comelli poderá, e deverá, desenhar um novo time sem aquele centroavante trombador que em 2012 marcava gol de todo jeito.

Tem gente que poderá ficar triste, mas penso que o ciclo de Zé chegou ao fim no Sul do Estado. Ele até poderá voltar mais pra frente, mas agora é hora do jogador ganhar um bom dinheiro em cima da fama do ano passado, e o Criciúma se planejar como um time que não joga para um atleta. Vai ser bom pro clube essa "oxigenada".

O Criciúma agradece ao Zé Carlos por todos os seus gols. E a vida segue.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Premiere FC volta atrás. Cobertura terá todos os jogos do JEC e Criciúma

Chega ao fim uma novela que estava trazendo problemas para torcedores de Joinville e Criciúma. O Canal Premiere FC, através da assessoria de imprensa, acaba de me confirmar que, a partir da sexta rodada, transmitirá todos os jogos de Avaí, Figueirense, Joinville e Criciúma, assim como era no ano passado.

Abaixo, a nota emitida pelo canal:

O Premiere FC informa que aumentará a cobertura do Campeonato Catarinense de 2013. No planejamento inicial, o canal transmitiria unicamente as partidas em casa do Criciúma e do Joinville, porém, devido à importância dos clubes, este planejamento foi revisto e a partir da 6ª rodada serão transmitidos todos os jogos, dentro e fora de casa, desses dois times. Com isso, o Premiere FC transmitirá todas as partidas de Criciúma, Joinville, Figueirense e Avaí no Campeonato Catarinense e no Campeonato Brasileiro das Séries A e B.

Vitória do torcedor que reclamou e do futebol catarinense. O que estava sendo vendido precisa ser respeitado.


Onze jogadores no banco. Em SC, só o Ibirama se ligou

Desde o dia primeiro de janeiro, a CBF permite que, em suas competições, sejam usadas as modificações de regras do futebol aprovadas pela Fifa na metade do ano passado, incluindo o uso de doze jogadores no banco de reservas e a possibilidade do técnico mudar a escalação do time na hora da entrada em campo.

Só o Atlético de Ibirama está usando deste recurso, colocando nove jogadores no banco de reservas contra o Criciúma, por exemplo.

E a mudança de regra tem novidade interessante: o clube pode divulgar um time titular e mudar a escalação ao entrar em campo, sem sanção nenhuma por parte do árbitro. Cria-se uma brecha para que treinadores façam artimanhas. Mas tá na nova regra.

Se pode colocar mais gente e mudar em cima na hora, por que os clubes daqui não usam? Desconhecimento da regra ou economia?

Quem quiser pegar mais informações sobre essa mudança de regra, só acessar aqui.

Agradeço ao amigo Silvio Kohler, do blog Stadion, que me chamou a atenção.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

A rodada que teve tudo, até queda de trave

Uma quarta-feira que deu de tudo, de virada no placar até queda de trave com improvisação no jogo que o presidente da Federação estava vendo. No resumo disso tudo, a dupla verde de Chapecó e Blumenau volta a liderança. E vão se enfrentar no próximo domingo, no Sesi.

Antes de falar dos assuntos cômicos, vou tratar do jogo que acompanhei, lá em Camboriú. O JEC deu um exemplo de como se entrega o jogo para o adversário. Foi meio que uma repetição da primeira rodada. O gol saiu cedo, aos 4 minutos, e o time de Artur Neto subestimou o adversário, abusando nas bolas tocadas de lado e perdendo a oportunidade de liquidar o adversário no primeiro tempo. Chegou a etapa final, o novo técnico do Camboriú deu uma remotivada, o time pressionou, e o Joinville achando que poderia liquidar a partida a qualquer momento. Aí acontece um pênalti, que era para Marcelo Costa, o cobrador oficial, bater. Lima pegou a bola, botou na marca sem que o treinador contestasse, e perdeu. Deu o gás necessário para a virada do Camboriú, que acabou acontecendo. É inconcebível ver um time de Série B, com o investimento que tem, abusar da falta de comprometimento e fazer o que fez. Teve jogador que disse que era uma vergonha, o presidente estava P da vida, e o técnico não disse muita coisa na entrevista. Vai ter que rolar muita conversa antes da próxima partida. O Camboriú não tinha nada a ver com isso. Aproveitou os espaços, abusou das bolas cruzadas, e tinha um atacante chamado Clênio que aproveitou o que apareceu. Primeira vitória do Cambura e segunda derrota do JEC, a segunda de virada.

Mesmo sem ver o jogo, quero aqui deixar meu destaque pro Metropolitano. O time de Barbieri deu a prova que eu queria ver. Perdeu para o JEC vendendo muito caro a derrota, marcando bem e saindo rápido para o ataque. O time não é bobo. E hoje, em casa, venceu o Figueirense, mostrando que não será nuvem passageira no primeiro turno. O time de Blumenau abre frente na briga pela Série D e promete ser pedra no sapato pra todo mundo daqui pra frente. E pode ser líder isolado no domingo, dentro de casa, contra a Chapecoense.

E vamos ao jogo da rodada, em Xanxerê. Como a partida não passou nem no Premiere FC (leia post anterior a este explicando o que acontece), a vitória da Chapecoense por 1 a 0 foi marcada pela trave que caiu, "derrubada" por Fábio Ferreira, que salvou um gol feito e, enrolado na rede, acabou por derrubar a trave apenas com o seu peso. Pior de tudo foi a solução encontrada, vista pelo presidente da FCF, que estava presente. Permitiram que uma verdadeira gambiarra com uma trave menor fosse feita. Uma emenda com uma ponta de eixo foi usada para que o jogo acontecesse, sendo que o goleiro Bruno defendeu uma trave apoiada por outra e placas de publicidade. Por sorte a trave não caiu na cabeça de algum atleta, causando uma tragédia. Imagem essa que vai correr o Brasil que faltam adjetivos. Para completar, o juiz não viu uma cusparada de Zé Carlos no adversário (estou tentando não me estressar com alguns novos árbitros que apareceram) e o jogo terminou, com uma má atuação do Tigre e um fato especial, que não é a atuação da Chapecoense, será lembrado nesta noite.

É essa a rigorosa vistoria nos estádios? Ah tá.


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Premiere FC envia nota sobre transmissão do Campeonato Catarinense 2013

O Blog entrou em contato com o canal Premiere FC, através de sua assessoria de imprensa. Questionamos porque a cobertura do Campeonato Estadual diminuiu, e quais jogos serão transmitidos. A resposta que recebi está abaixo:


"O Premiere FC esclarece que transmitirá ao longo do Campeonato Catarinense de 2013 TODOS os jogos do Figueirense e do Avaí e as partidas com mando de campo do Criciúma e do Joinville.  Informamos ainda que as quatro equipes terão TODOS os seus jogos transmitidos durante as Séries A e B do Campeonato Brasileiro deste ano, com a maior cobertura em alta definição do futebol nacional".

Recebi informações que muitos torcedores do Criciúma e do Joinville estão procurando os respectivos Procons para ingressar com ações contra o canal.

A nota não responde a principal pergunta: por que a diminuição da cobertura. A maior cidade do Estado e o único representante catarinense na Série A perdem muito. 

Coincidência: os dois times patrocinados por um banco estatal terão cobertura 100%. Só uma coincidência.


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A dura realidade de Brusque e Marcílio Dias

Rebaixados no ano passado, Brusque e Marcílio Dias ficam no esquecimento nesse período de Campeonato Estadual onde, com total merecimento, acabaram ficando na ponta de baixo da tabela no ano passado. E nesse período sem jogos que vai até o final de maio, quando os dois estrearão na segundona, os clubes passam dificuldades. Um deve salários a funcionários desde junho. O outro está com o estádio abandonado.

Veja estas matérias. A primeira, produzida aqui na TV Brusque, ouve o motorista do ônibus do clube, cansado de ouvir promessas, sem receber o que lhe é devido pelo clube. O técnico Joceli dos Santos e ex-jogadores também querem uma resposta. Reportagem de Alain Rezini:




E no outro lado da Rodovia Antonio Heil, o Marcílio Dias também não passa por bons momentos. O gramado do Estádio Dr. Hercílio Luz está abandonado. Preste atenção na matéria: um morro se formou na frente de uma das traves. A reportagem é de Marcelo Nunes, da RICTV Itajaí:


A rodada: o campeonato começou para a dupla da capital

Três rodadas, uma semana, duzentos e setenta minutos de bola rolando. Não é lá o melhor tempo para uma avaliação ou desenvolvimento de um time, mas a partir de agora, aparecem os resultados de quem montou um bom elenco e o ajustou em campo. E neste domingo, a dupla da capital mostrou uma considerável evolução. Dá pra dizer que o campeonato começou agora para eles.

Fernando Ribeiro / Criciúma EC
Em Criciúma, o Avaí se recuperou da goleada sofrida em Xanxerê em grande estilo. Não venceu, é verdade, mas mostrou uma produção ofensiva boa, diante de um adversário forte. Faltou ainda maior qualidade no ataque (o maior problema é a falta de um camisa 9, Danilo está longe do ideal), mas o time tem Marquinhos, que fez um golaço para empatar o jogo. A virada só não aconteceu porque Arlan perdeu uma chance incrível. O Criciúma me decepcionou bastante. Jogou só 15 minutos, depois se perdeu e cansou demais no segundo tempo. Exemplo disso foi André Gava: o jovem de 20 anos se arrastou em campo no final. É um sinal de atenção para Paulo Comelli, que ainda há muita coisa a ser feita, com certa urgência.

Luiz Henrique / Figueirense FC
O Figueirense também surpreendeu, e até mais que o rival. Depois de ganhar do céu o empate contra o Joinville por causa de uma infelicidade de Lima, o time que já acertava linhas de passe na quarta aprimorou ainda mais. Adilson Batista começa a mostrar o padrão de jogo que desenhou para o time, e a Chapecoense foi vítima, tomando dois gols e sem forças para buscar uma reação. Ainda falta um longo caminho para o alvinegro, e aí também entra a parte física, que causou uma sensível queda de rendimento no segundo tempo. Mesmo assim, o Figueira é líder isolado do Estadual. E se conseguir manter a subida de ritmo, vira favorito ao título do turno.

A derrota da Chapecoense embolou a classificação do campeonato. Um dos que agradecem é o Joinville, que bateu a forte marcação do Metropolitano com um gol que tem a marca do talento de Lima. O Metrô teve duas chances de gol, e não aproveitou. Lima teve uma, e botou na rede, mostrando porque ele é diferenciado. O JEC de Artur Neto também evolui, mas ainda tem o jogo amarrado em alguns momentos. Terá dois jogos pela frente onde nem pode pensar em empatar, contra Camboriú e Ibirama. Se o futebol melhorar e as vitórias acontecerem, lá na frente vamos ver se o JEC vai entrar na briga.

A rodada também marcou a segunda vitória do Juventus e a queda do primeiro treinador do Estadual. Suca não resistiu à terceira derrota seguida. O Camboriú precisa de um choque e de um algo a mais de qualidade. O nível técnico do Campeonato aumentou, e a exigência também. Mudanças devem ser anunciadas nesta segunda-feira.