sexta-feira, 15 de março de 2013

Juventus fecha parceria com clube da 3a. divisão. Presidente pode ser técnico

Conteúdo reproduzido do portal informativo Avante!. O Jaraguá, time da terceira divisão do catarinense, vai ajudar o Juventus nesta reta final de campeonato. A matéria é do amigo Henrique Porto:


Nem os mais bem pagos roteiristas de Hollywood seriam capazes de escrever uma história tão inusitada e cheia de reviravoltas como a do Juventus no Campeonato Catarinense de 2013. Teve presidente trabalhando de pedreiro, ameaça de desistência, debandada de jogadores e apoio de onde menos se esperava.
Com a confirmação da saída do técnico Pingo e de diversos atletas após o jogo de domingo, contra o Camboriú, o presidente Jerri Luft aceitou a oferta do co-irmão Sport Club Jaraguá para cessão de atletas. O martelo foi batido ontem.
“Vimos uma necessidade de ajudar o Juventus, pelo bem da cidade. Um WO ficaria ruim para nós também, pois acarretaria um nome negativo, o que nos prejudicaria na busca de patrocínios”, afirmou Da Silva, o presidente do Jaraguá.
“Na nossa cabeça nunca passou desistir da competição. Foi uma negociação rápida e econômica para o clube. Estou feliz por ver que ainda existem pessoas que vêm o nosso trabalho, o nosso sofrimento. Não tínhamos mais condições de continuar do jeito que estava”, acrescentou Luft.
Pela parceria, o Leão cederia vinte atletas ao Juventus, que ainda contaria em seu elenco com os remanescentes do atual grupo. O Jaraguá continuaria bancando os salários de seus atletas, enquanto o Juventus assumiria as despesas referentes aos jogos.
Quanto ao técnico, Rafael Rocha (do Jaraguá) é a primeira opção. Mas Luft não descarta assumir mais essa função. “Se tiver necessidade, também vou ser o técnico do time”, afirmou.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Juventus: o último que sair apague a luz

Após ameaçar desistir do estadual e voltar atrás diante de algumas promessas de patrocínio, a crítica situação financeira do Juventus agora começa a mostrar os seus efeitos. Todos os jogadores estão liberados para procurar outro clube. Sem receber salários e com o passe valorizado depois da boa campanha no primeiro turno, vários já arrumaram outro emprego.

A diretoria do moleque travesso jogou suas fichas em um repasse a ser aprovado pela Câmara de Vereadores local para que a temporada fosse salva. A estratégia: aprovar no legislativo municipal, a toque de caixa, um repasse para a Liga Jaraguaense de Futebol (que é presidida por Jerri Luft, o mandatário do Juventus), que repassaria o dinheiro para o clube. A Liga possui todas as certidões negativas necessárias para receber verba pública. Tal tática gera muita polêmica: há quem diga lá em Jaraguá que isso é ilegal.

O mais importante nisso tudo é que o dinheiro não veio, e os principais jogadores já estão indo embora: Giso, o melhor jogador do time, foi para o Brasiliense; o zagueiro Peixoto rumou para o Novo Hamburgo, enquanto o meia Cícero vai jogar no Toledo-PR e o zagueiro Charles, ex-Joinville revelado no time amador da Tupy, vai para o Fortaleza após a rodada do final de semana.

O time vai sendo desmontado e o técnico Pingo não sabe quem escalará no final de semana. No comando do Juventus, fez seu trabalho aparecer e já tem seu nome lembrado em outros clubes. O presidente dará um pronunciamento no domingo sobre a situação do clube e o desmanche que está acontecendo. Não sei se haverá desistência, já que as sanções do tribunal são severas. Dá pra colocar a garotada dos juniores para cumprir tabela.

Pena que um time que jogava tão bem acabe dessa forma.

Atualização das 09:40 de quinta: Segundo o site Avante!, o Sport Clube Jaraguá, clube da terceira divisão do estadual, acenou com a possibilidade de emprestar alguns jogadores para que o Juventus encerre o campeonato.


segunda-feira, 11 de março de 2013

Mais técnico caindo, gente prestigiada e pedido inusitado

Recuperado da cansativa viagem ao Oeste (tive que ir a Joinville pra depois voltar pra casa), agora dá pra escrever sobre o tumultuado final de semana do Estadual, que teve uma das mais inusitadas notas oficiais da história.

Eis que o Camboriú institui a campanha "Torcedor, não vá ao estádio". Ganhou repercussão nacional o texto no site oficial do clube que pede para que o torcedor não va prestigiar o time, pois sabe que ele será roubado pela arbitragem. É fato que o gol de Ewerton Páscoa do Criciúma no sábado foi totalmente ilegal. Mas como sabemos, não há punição alguma pra quem erra tão feio (pelo menos a punição não é divulgada, como a CBF e a Fed. Paulista fazem). Já dizendo que o rebaixamento é iminente, o presidente Coppi aproveitou pra soltar o verbo. E quer saber? Já ouvi a mesma reclamação de muito dirigente de time menor. Apareceu um que teve a coragem. E não duvido que vai tomar bronca da chefia por isso.

Rodada que teve Sérgio Soares finalmente demitido e Artur Neto prestigiado, mais uma vez. Ambos já deveriam ter caído há tempo. O Avaí, mesmo um pouco tarde, tomou providência. Já o JEC insiste em algo que não vai dar certo.

Perder pra Chapecoense em Xanxerê não é anormal. Mas vencer por 2 a 0, fazer um ferrolho no segundo tempo, tomara a virada e tentar empatar sem organização nenhuma como um time de pelada é algo que uma torcida como a do Joinville não merece. Um time que quer ser campeão não pode ser rachado. No JEC, Artur não se dá com Lima e seu grupo, insiste em um atacante limitado e não tem um  plano de ataque bem feito. O resultado está aí, e parece que a diretoria tricolor não observa. Dá pra mudar, antes que seja tarde.

Na classificação, o Avaí entra na situação de só se classificar se vencer o returno. Isso significa vencer sete dos próximos oito jogos. Pelo índice, é quase impossível. Tigre e JEC ainda tem chances, mas tem que melhorar e muito o futebol. O Criciúma pode mudar com o novo técnico. E no Joinville, começo a perder as esperanças. O tempo passa e nada se mexe por lá.