sábado, 4 de maio de 2013

Um erro fatal, e Tigre na final

Portal Engeplus
O Criciúma está de volta à decisão do Campeonato Catarinense, em um jogo decidido em um lance esdrúxulo aos três minutos de jogo. Tudo o que foi desenhado durante a semana para o jogo de volta, onde o Leão tinha a vantagem do empate, acabou num erro de Marquinhos, que acabou com um gol de Tartá que deveria ser assinalado como contra de Arlan.

O Tigre teve muita vontade, mas faltou qualidade no ataque e perdeu várias chances de tornar o final menos dramático. O Avaí não jogou. Se assustou, tomou uma pressão enorme e só conseguiu crescer no segundo tempo, quando Vadão abriu mão de pressionar e resolveu segurar o resultado montando uma linha de volantes. Com a chance nas mãos, o time azul não se organizou. E quem deveria brilhar, quem era o cara pra decidir, não decidiu. Na hora H, Marquinhos não apareceu. Higor, que poderia ser o "plano B", sumiu em campo e foi sacado por Ricardinho para a entrada de Tauã.

Prevaleceu a vantagem da melhor campanha do Criciúma, um time que engatou um crescimento na reta fina do campeonato, ainda que não tenha mostrado hoje a eficiência de outras jornadas. O esforçado Lins correu como nunca, mas não conseguiu marcar. Chocado com o gol sofrido em um erro crasso, a discutida defesa avaiana dava muito espaço no contra-ataque. Os dois últimos jogos servirão de uma grande análise do que o Avaí quer e precisa no Brasileirão. Não dá pra depender de um só jogador, ficar sem qualidade nem opções nas alas e ter uma defesa frágil.

Parabéns ao Tigre que chega com justiça à final. Efeito de uma reestruturação feita no meio do Campeonato que poderia dar certo a curto ou a longo prazo, com a continuidade no Estadual ou uma pré-temporada forçada até a Série A. O resultado está vindo de forma rápida.

Agora o time terá que se preparar para a decisão, que independente do adversário vai acontecer fora de casa. O melhor ataque do campeonato terá que aparecer já na primeira partida.


O diz que diz de Cléber Santana. Quatro declarações em 24 horas.

Quatro declarações de Cléber Santana em menos de 24 horas que repercutiram na imprensa sobre sua possível volta ao Avaí, que se transformou numa novela mexicana pra lá de chata. Ao mesmo tempo que ele admite que está negociando, ele nega a outro repórter. Tente entender:

Eu tenho conversado bastante com o presidente Zunino, ele sabe da minha vontade. Por mim e pelo Avaí, já estaria definido. Mas o Flamengo tem que me liberar, e nisso eu não posso interferir. Sou jogador do clube e respeito o meu contrato. - Ao repórter Tiago Pereira, do Diário Catarinense.

Distorceram um pouco o que eu disse. Eu falo sempre com o presidente do Avaí, é meu amigo, mas não cheguei a negociar nada. O Jorginho me procurou e disse que quer contar comigo. Eu só quero jogar, é como me sinto feliz. - Ao repórter Thiago Bokel, do Lancenet.

A gente tá negociando. Eu falo com o presidente Zunino frequentemente, é alguém de quem eu gosto muito, mas até em razão da dívida com o Flamengo, é uma questão direta entre os clubes, não tem nada certo ainda. - Ao repórter Diego Madruga, do Globoesporte.com

Não existe nenhuma conversa com o Avaí e minha intenção é de cumprir meu contrato com o Flamengo. Fiquei muito satisfeito ao saber que o Jorginho deseja minha permanência no clube e quero ressaltar que não falei com ninguém da imprensa a respeito de uma negociação com Avaí. Só me pronunciarei sobre isso caso algum clube procure o Flamengo. No mais, estou tranquilo e quero apenas focar na preparação para o Campeonato Brasileiro. - Nota oficial divulgada pela assessoria do jogador, sexta a noite.


sexta-feira, 3 de maio de 2013

A lista do "Top 10" dos micos do Campeonato Catarinense

Contando a colaboração do pessoal que visita o Blog e que colaborou pelo email, abaixo vai a lista dos 10 maiores micos do Campeonato Catarinense 2013. Teve de tudo esse ano, e apesar do presidente da Federação achar que foi tudo lindo e maravilhoso, a coisa não foi bem assim.

Acompanhe o "Top 10 negativo" do Chevetão 2013:

10 - Novela do "Tem Laudo, não tem laudo": Semana que antecedia a estreia do Estadual. Nenhum clube entregou os laudos de liberação dos estádios a tempo, e todos acabaram recorrendo ao TJD. A Federação chegou a marcar os jogos das duas primeiras rodadas com portões fechados, mas um canetaço do tribunal liberou tudo (e os clubes foram severamente multados depois disso). Era até engraçado ver o corre-corre de informações nas redes sociais ao sair o anúncio que esse ou aquele estádio estava liberado. No final das contas, o acordo da FCF com o Ministério Público não foi obedecido.

9 - A Bola Alternativa: Aconteceu no jogo Metropolitano x Joinville. Funcionários do Metrô desconfiaram da bola, fabricada pela Penalty, que não era do mesmo padrão das outras jogadas no Estadual. Desconfiou-se que a bola era pirateada. A própria FCF admitiu que poderia ser uma "bola de qualidade inferior", segundo afirmação de um dirigente da Federação ao jornalista Rodrigo Braga, quando perguntado. Bola de qualidade inferior pode se definir como réplica, que só é igual visualmente à oficial, mas bem mais barata.

8 - Vou de Táxi: Jogo Chapecoense x Joinville, em Xanxerê, pela abertura do returno. O ônibus do time de Chapecó simplesmente não apareceu para levar os jogadores para o Estádio Josué Annoni. Como a cidade não tinha outro ônibus disponível, o jeito foi levar os jogadores de táxi e carros particulares. Os atletas foram chegando em prestação. Deve ser por isso que o time fez um primeiro tempo tão ruim. No segundo, parece que eles acordaram e viraram a partida sobre o JEC.

7 - "Não venha no estádio". Sentindo-se prejudicado pela arbitragem, o Camboriú inovou: publicou uma carta no seu site pedindo deliberadamente que o seu torcedor não fosse ao estádio, para não fazer papel de palhaço. Pelo jeito, teve gente que desobedeceu. E o time acabou rebaixado.

6 - Adriano Chuva:  Como chuva de verão, o atacante Adriano Chuva chegou como um grande reforço, vindo do Canoas, time rebaixado no Gauchão, e rapidamente foi embora, sem deixar saudade. Até hoje gostaria de saber quem foi o gênio que resolveu contratar ele.

5 - Guarani x Avaí adiado: Todo mundo pronto pra começar o jogo no Estádio Renato Silveira numa tarde de domingo. Eis que, naquela manhã, o Ministério Público resolve entrar com pedido para que o jogo não aconteça. A cobertura da partida passou do Estádio para a frente do Fórum de Palhoça. Com TV ao vivo e os times no gramado, a Polícia avisou que o jogo não poderia acontecer.

4 - A desistência do Juventus: time que só não caiu para a segundona por conta da boa campanha no primeiro turno, o clube de Jaraguá do Sul foi alvo das atenções depois do presidente (agora ex) anunciar duas vezes que o time estaria desistindo. Tudo começou num sábado de manhã, quando um dirigente anunciou a retirada pelas redes sociais. O ex-presidente Jerri Luft chegou a ir a Joinville para pedir, ao vivo no Clube da Bola, apoio aos empresários. Ele aguentou mais alguns dias, mas acabou renunciando em uma conturbada coletiva, onde chegou a dizer que fazia "futebol em Jaraguá do Sul para um bando de m.....". Um novo presidente assumiu, veio a parceria com um clube da terceira divisão e o ano que vem está garantido. Mas que essa novelinha foi chata, ah foi...

3 - Busão empurrado: rebaixado para a segunda divisão após a derrota para a Chapecoense em Xanxerê, o time do Camboriú teve que lidar com a surpresa de ver o ônibus que levava a rapaziada de volta pra casa quebrar na altura de Rio do Sul. Como desgraça pouca é bobagem, o time levou no bom humor e empurrou o busão na maior brincadeira. Veja o vídeo clicando aqui.


2 - Harlem Shake do Guarani:  após a vitória contra o Atlético de Ibirama, os jogadores do rebaixado Guarani resolveram comemorar de uma forma singular: gravando o famoso "Harlem Shake" dentro do vestiário, com direito até a jogador colocando isopor na cabeça. A festa antecipada não adiantou em nada: com uma derrota em Jaraguá, o bugre acabou rebaixado para a segundona. Veja o vídeo clicando aqui.

1 - A trave que caiu: o primeiro da lista não teria como ser outro. Foi manchete internacional e até parte do Top 10 do Sportscenter americano: a queda da trave do estádio de Xanxerê sobre o zagueiro Fábio Ferreira do Criciúma será uma das cenas mais patéticas da história do Campeonato Catarinense. Cena que deixou todos atônitos, provocou uma série de matérias sobre uma trave e muitas, mas muitas risadas. E teve quem achou tudo isso normal. Não foi. Uma marca do quanto nosso futebol precisa evoluir. O Chevetão 2013 está chegando ao final, e vai que mais alguma coisa aconteça... Veja o vídeo desse momento histórico clicando aqui.



quinta-feira, 2 de maio de 2013

Ajude a eleger os micos do Campeonato Catarinense

O Blog está produzindo um post especial com os "piores momentos" do Campeonato Estadual.
Gostaria de contar com a colaboração de vocês pra elaborar essa lista.

Vale desde a trave que caiu em Xanxerê até a novela da desistência do Juventus.

Lembrou de mais alguma? Deixe o seu recado aqui, ou no meu email: rodrigo@tvbrusque.com.br

Final de semana sai a lista.

JEC x Santos: vale três pontos ou é atração turística?

Nessa semana que falta pro jogo do Joinville contra o Santos, impressiona a movimentação que acontece em Joinville. Filas para comprar os ingressos (os mais baratos custam 100 reais), muita gente atrás de informações, e até reforma especial no Estádio para receber Neymar.

É o que a Prefeitura de Joinville colocou hoje no seu site: "Joinville está se preparando para receber um dos maiores jogadores de futebol da atualidade: Neymar". Uma pintura geral está sendo feita na Arena especialmente para o jogo da próxima quarta.

Mas peraí, tudo isso é para o Santos? Não devia ser o inverso, arrumando tudo para o Joinville, que representa a cidade, joga no Estádio, um dos grandes de Santa Catarina, que brigará por uma vaga na terceira fase da Copa do Brasil e tem uma Série B pela frente?

Tem gente invertendo valores. Joinville x Santos é jogo oficial, valendo três pontos, em competição importante. Não é atração turística e nem jogo amistoso.



Atualização das 14:20: Vendo o tamanho da bola fora, a Prefeitura de Joinville tirou a menção a Neymar no seu site.


terça-feira, 30 de abril de 2013

Vídeo da confusão em Criciúma com o árbitro pego pela goela

Repercutiu nacionalmente o post do domingo sobre a confusão na Copa Sul dos Campeões de futebol amador, em que o árbitro Edésio Veber foi covardemente agredido pelo técnico Maurílio Gralha, do Caravaggio.

Abaixo, video com as tristes imagens da partida, matéria do amigo Bebel Vieira da TV RCR, de Criciúma:


Desafio do maior público x TV para a praça = prejuízo

Li nos últimos dias alguns textos sobre a questão do público nos primeiros jogos das semifinais do campeonato. 12 mil e pouco no Scarpelli, em um sábado a noite, e pouco mais de 10 mil na Ressacada, num domingo a tarde, com TV aberta para a cidade do jogo.

Lá no final, na ponta do lápis, a média de público do campeonato fatalmente será menor que a do ano passado. Mesmo que os times tenham uma massa de torcedores fanáticos, sempre vai ter aquele que ficou na dúvida, não quis chegar tarde da noite em casa ou pegar trânsito no domingo e vai ficar em casa vendo pela televisão.

Ainda que não existam números exatos de quanto o pay-per-view do catarinense vende, os jogos da TV aberta que foram transmitidos para a praça neste ano e que assim serão nos próximos quatro tiram do estádio aquela percentagem do torcedor "em dúvida". E isso é dinheiro a menos entrando no caixa do clube.

Relembrando um post do Blog de 11 de janeiro (clique aqui): a emissora dona dos direitos de transmissão aumentou o seu teto de R$ 3,2 milhões para R$ 4 milhões sob a condição de liberar os jogos para a praça. Na ponta do lápis, tiradas as comissões, isso dá, mais ou menos, sessenta mil reais a mais para cada clube. Isso mesmo: os clubes cobraram 60 mil reais para colocar a emissora de TV como concorrente potencial para tirar gente dos seus estádios. Numa média de ingresso de 30 reais, isso dá 2 mil torcedores para todos os quatro meses do campeonato, fora o que eles podem gastar dentro do estádio. Os clubes fizeram um mau negócio de cabo a rabo. Dinheiro que não entra.

Voltando às semifinais, o Scarpelli teve um bom público com ingresso promocional, sem uma grande torcida visitante. Na Ressacada, o torcedor de Criciúma foi em maior número, mas o avaiano foi em número bem menor num domingo de sol a pino com TV aberta que dá pra ver em casa com uma cerveja gelada, sem trânsito nem estresse.

Tô pra ver um presidente de clube que vai dizer que errou na negociação. Os números dizem tudo.


domingo, 28 de abril de 2013

Avaí conquista a vantagem em uma ótima partida

Manoel Bento / Avaí FC
Tipo de jogo que todo mundo gosta de ver em uma decisão: movimentado, com os times lutando, criando alternativas, jogadores correndo até o final e a decisão no detalhe. Mais feliz foi o Avaí, que batalhou para levar para Criciúma no sábado a vantagem do empate.

Avaí que venceu com uma nova cara que vai se apresentando justamente nessa reta final de campeonato: Higor, o primo do Kaká que veio do Fluminense, marcou pelo terceiro jogo seguido e aparece como a 'válvula de escape' em um esquema sobrecarregado em cima de Marquinhos. Aí o jogo consegue fluir melhor, e o ataque ganha mais alternativas. Ataque avaiano que, desfalcado de Reis, perdeu muito do seu poder. Danilo não o substitui a altura e, numa dessa, se o titular estivesse em campo, talvez o Leão levasse uma vantagem maior para o Sul, podendo até perder para ir para a final.

O Criciúma parece que também sentiu a falta de Marcel, mas
talvez tenha pecado um pouco na "frouxidão" da marcação. Marquinhos e Higor não foram marcados de forma dura. Puderam trabalhar e lançar as bolas. Os três gols tomados de bolas aéreas foram uma prova disso. O Tigre teve oportunidades, é verdade, mas faltou aquele a mais na qualidade.

Menos mal para o time de Vadão que a derrota foi por um gol de diferença, o que lhe dá a vaga na final com uma vitória simples no sábado, em casa. Só aí já dá pra prever o que poderão ser os próximos 90 minutos. Pressão desde o primeiro minuto em um estádio lotado de um Criciúma que vai tomar conta do jogo, mas vai ter que tomar muito cuidado com a saída para o contra-ataque. O Avaí vai para final se não levar gols, mas vai ter que cuidar para não fugir muito de sua característica, já que o time começa agora a achar o caminho ideal da sua formação ofensiva, e abrir mão disso significa sobrecarregar uma linha defensiva que comprovadamente não é confiável.

Um jogão no sábado que vai ter o maior público do Campeonato, com certeza.


Árbitro é pego "pela goela" em Criciúma

Fotos Lucas Colombo / Jornal A Tribuna

A cena é forte e aconteceu ontem em Criciúma, no jogo entre Caravaggio x Internacional de São Defende, na decisão da Copa Sul dos Campeões de Futebol Amador. O técnico do Caravaggio, Maurílio Gralha, literalmente partiu pra cima do pescoço do árbitro Edésio Weber ao descobrir que tinha sido expulso, na volta para o segundo tempo, agarrando-o pelo pescoço. O jogo foi uma confusão só, teve alambrado quebrado e briga generalizada dos jogadores. No final, o Caravaggio venceu por 3 a 0 e conquistou o título, se classificando para o Estadual de amadores. Lamentáveis as imagens.

Williams Biehl / Portal Veneza