sexta-feira, 28 de junho de 2013

Imbituba termina com parceria furada italiana

Apenas dois meses depois de firmar parceria de dez anos com o Imbituba, a empresa Swiss Group of Companies, da empresária italiana Edda Silvestro (foto) teve o contrato rescindido pelo clube.

Segundo entrevista do presidente Roberto Rodrigues à Rádio Super Santa, de Tubarão, nenhuma cláusula do contrato foi cumprida.
A empresa foi notificada no dia 25 de junho e já no dia 26, técnico, comissão técnica, jogadores e dirigentes deixaram o clube. Nos últimos dias, o clube chegou a receber notificação de corte de fornecimento de energia e em julgamento foi penalizado no início desta semana em R$ 1.600,00 pelo não pagamento da taxa de arbitragem.

Segundo Robertinho, a forma administrativa da empresa italiana não é compatível com o Imbituba FC, talvez com uma grande equipe. "O Imbituba precisa de pés no chão e trabalhar de acordo com a realidade de nossa região", salienta o presidente.

O Imbituba ainda será julgado pela ausência da equipe de juniores no segundo jogo da semifinal contra o Concórdia, quando o ônibus do clube sofreu avarias na viagem e não chegou ao destino final.

Mais um rolo que a empresária italiana entrou. E um post aqui no Blog já tinha trazido uma história anterior dela que não deu nada certo. E curioso: das parcerias que mencionei anteriormente aqui no Blog, nenhuma deu certo. E a parceira do Hercílio Luz, a empresa Janela do Futebol, não dá as caras no estádio há pelo menos dois meses.

Rapidamente, Robertinho contratou o técnico Joceli dos Santos, que já conseguiu subir o próprio Imbituba para a primeira divisão.                

quinta-feira, 27 de junho de 2013

E o Maracanã receberá a final tão esperada

O que a grande maioria esperava, vai acontecer. Graças a um pênalti cobrado para fora de Bonucci, a Espanha vai ser a adversária do Brasil domingo, na final da Copa das Confederações. A seleção de Felipão, ainda no ritmo de “em obras”, vai pegar um time pronto e que tem o melhor futebol, mas fisicamente esgotado depois da maratona de Fortaleza. Ainda mais que o extra-campo dos espanhóis esteja bem agitado, se é que você me entende.

Penso que o time brasileiro cumpriu a sua missão nesta competição. A missão número 1 era mostrar um mínimo de organização. Isso o time conseguiu. As vitórias vieram, umas mais fáceis e outras bem suadas, como foi a última, contra o Uruguai, onde o time mostrou que há um longo caminho pela frente. Contra um time cascudo, mostrou sua “Neymardependência” e, se não fosse o pênalti defendido por Júlio César e os dois lances decisivos de Paulinho, poderia não estar no Maracanã domingo.

A Espanha é favorita por todo o histórico recente deste time brilhante que conquistou tudo o que disputou nos últimos anos. Mas como diria um amigo meu, “favoritismo se aceita, mas tem que fazer prevalecer no campo”. O time de Del Bosque é melhor, mais qualificado e está pronto. Mas pesa ao favor do Brasil, além do estádio lotado, o preparo físico espanhol, que teve um dia a menos de descanso, e o próprio clima do time, que não está tão concentrado na competição como estaria em uma Copa do Mundo.

O Brasil, para vencer no domingo, terá que fazer uma partida perfeita, que não permitirá erros e tampouco atuações apagadas, e isso quer dizer Neymar. Ele terá que fazer a diferença sobre o melhor meio-campo do mundo. Guardadas as devidas proporções, é como aquele Barcelona x Santos na decisão do mundial de clubes.  A única chance santista era Neymar desequilibrar sobre um time experiente e mais qualificado. Domingo, teremos o melhor time do mundo contra alguém que quer recuperar sua identidade, que com toda certeza será outro time em 2014.

Mas como tudo se decide em um jogo, o detalhe pode decidir. Não jogar como favorito vai fazer bem ao Brasil, que terá que desafiar os seus próprios limites.


terça-feira, 25 de junho de 2013

Estado terá que indenizar família de torcedor do JEC

Por falhas no atendimento médico, o Estado de Santa Catarina terá que indenizar a família do torcedor do JEC Julio César, morto em 2006 por uma pedrada contra o ônibus da torcida na BR-101, em Biguaçu.

Até hoje não foi preso o responsável do que o judiciário chama de acidente. Pra mim foi homicídio.

Extraído do site do Tribunal de Justiça de Santa Catarina: 

A 3ª Câmara de Direito Público do TJ confirmou sentença da comarca de São José e determinou que o Estado de Santa Catarina pague R$ 50 mil, por danos morais, aos pais de um torcedor do Joinville Esporte Clube (JEC) atingido por uma pedra em Biguaçu. 

O acidente (nota do blogueiro: acidente???) aconteceu em 1º de março de 2006, quando o ônibus da torcida retornava a Joinville depois de uma partida contra o Avaí, e o adolescente – ao ser atingido por uma pedrada - foi encaminhado na ocasião ao Hospital Regional de São José. 

A família ajuizou ação em que apontou falhas no atendimento médico, o que teria resultado na morte do rapaz dois dias depois do sinistro. O Estado alegou, em apelação, que não há prova de conduta culposa de sua parte, e que não existe ligação entre o atendimento prestado e a morte do torcedor. Defendeu, ainda, a alteração da sentença relativamente à denunciação aos médicos que atenderam o paciente, por considerar evidente a responsabilidade deles no caso. 

O relator, desembargador Pedro Manoel Abreu, não acolheu esses argumentos. Para o magistrado, não restam dúvidas de que o rapaz morreu em razão da demora e do precário atendimento. Naquela ocasião, após tomografia realizada comprovar as lesões, não houve o encaminhamento necessário. Um dos médicos receitou o medicamento Dipirona ao saber, por telefonema da enfermeira, das queixas de dor feitas pelo paciente. 

A perícia apontou que não fora feita a drenagem do hematoma intracraniano que levou o paciente ao estado de coma. "Cabe à administração pública zelar pela qualidade dos serviços que presta aos cidadãos. Consequentemente, é curial a responsabilidade do Estado de assegurar minimamente a saúde daqueles que se encontram internados em seus nosocômios. Assim, o caso dos autos é de dano provocado pelo poder público, pela má prestação do serviço público", enfatizou Pedro Abreu. 

 Sobre a denunciação da lide aos médicos, o relator observou o resultado de sindicância interna realizada pelo Estado, que apontou não ter havido infração ao Código de Ética Médica pelos profissionais acusados. No documento, consta que havia falhas na estrutura hospitalar, como setor de emergência sem condições de prestar atendimento por falta de material e pelo número reduzido de leitos de Unidade de Terapia Intensiva. A decisão foi unânime (Apelação Cível n. 2012.065835-8).

domingo, 23 de junho de 2013

Segundona: Brusque a um passo das finais

O Brusque venceu neste domingo o Porto por 2 a 0 e está a um passo do título do primeiro turno da segundona e a vaga no quadrangular final com um ponto de bonificação (pra quem não sabe, o regulamento é igual ao Catarinense de 1998: um quadrangular final definirá o acesso, onde o campeão de cada turno leva um ponto. Se ganhar os dois turnos, leva dois). Jogo em que o Bruscão teve um jogador a menos por todo o segundo tempo, mas não foi ameaçado em momento algum.

Começa-se a desenhar a realidade do campeonato: quem começou bem já dá sinais de perda de fôlego. O Atlético Tubarão chega ao terceiro jogo sem vitória perdendo para o rival local Hercílio Luz, o Concórdia perdeu o segundo jogo como mandante e o Porto, que ouvi falar muito bem, é um time que não me impressionou. Tem muita correria, mas sem muita qualidade. Foi presa fácil para o Bruscão.

O Brusque sobra na turma, e o Marcílio Dias começa nessa segunda uma nova fase, já sem a parceria conturbada da LA Sports e o comando de Paulo Turra, tenta correr atrás do tempo perdido. Tem dinheiro e condição de montar um time para se garantir no quadrangular, e entrar na lista de favoritos, ao lado do Brusque, único invicto até aqui. Um bolo de times com 11 pontos vai entrar no returno brigando pelas duas vagas restantes.

O regulamento privilegia quem tem fôlego lá no final. Será que alguém vai conseguir fazer frente à dupla das duas pontas da Rodovia Antonio Heil?