segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Catarinense 2014: Juventus

O Blog, como faz todos os anos, publica análises individuais de cada time que participará do Campeonato Catarinense. A Série de 2014 começa hoje. A cada dia, um clube. Espero que gostem. Abrindo os trabalhos, o Juventus de Jaraguá do Sul:


GRÊMIO ESPORTIVO JUVENTUS 
Fundação: 1o. de maio de 1966
Cores: Grená, Preto e Branco
Estádio: João Marcatto (7.000 lugares)
Presidente: Jeferson de Oliveira
Técnico: Milton do Ó
Ranking "BdR" 2013: 11o. Lugar
Catarinense 2013: 8o. Lugar


O Juventus teve um 2013 pra lá de tumultuado. Só não caiu para a segunda divisão por obra do time do técnico Pingo, que montou um time sem muitos nomes conhecidos, alguns vindos até do futebol amador. O grupo respondeu de forma surpreendente e terminou o primeiro turno em quarto lugar, o que acabou sendo suficiente para ganhar uma gordurinha para evitar o rebaixamento lá no final. O clube entrou numa grande crise, com atraso de salários e até ameaça de desistência. No fundo do poço, o então presidente Jerri Luft renunciou, assumindo Jeferson de Oliveira, vereador da cidade, que amarrou uma parceria com o Jaraguá, o outro clube da cidade, segurando a vaga na primeira divisão. O clube ainda passa por sérios problemas financeiros. O Estádio João Marcatto, que teve o gramado destruído no último ano por descuido e mais o aluguel para um time de futebol americano, corre sério risco de não ser liberado por causa dos velhos alambrados. Tudo esbarra em custo, e o Juventus terá, acredito, o menor orçamento dos dez times do catarinense.

Sem Pingo, hoje no Brusque, o Moleque Travesso foi atrás de outra novidade para o comando técnico: Milton do Ó (não é apelido, é o nome real dele), de apenas 34 anos de idade. Como zagueiro, foi campeão paranaense em 96 pelo Paraná e em 2001 pelo Atlético. Tem também em seu currículo uma passagem pelo Fluminense em 2005. Depois foi para Portugal, onde encerrou a carreira. Treinava as divisões de base do Paraná e viu no Juventus a chance de iniciar um voo solo no profissionalismo. No primeiro desafio, o problema de montar um time qualificado com recursos contados: “Não posso garantir a permanência na elite, mas a responsabilidade será totalmente minha se isso não acontecer. É certo que eu trabalharei para cumprir esse objetivo, já que foi posto isso pela diretoria e esse é o nosso foco principal. Vamos qualificar e realizar um bom trabalho”, afirmou na sua apresentação.

E assim como no ano passado, o elenco do time de Jaraguá não tem nenhum chamado figurão, mas possui jogadores com passagem no futebol catarinense, como o volante Anderson Pedra, egresso do time de 2013,  o atacante Rafael Carioca, egresso da base do JEC, o lateral Rodrigo Crasso, ex-Concórdia, e o meia-atacante Marcelo Moscatelli, de 31 anos, revelado no Iraty, com passagens por Brasil de Pelotas, Joinville e Criciúma. O clube tenta botar um pouco de experiência em um time bastante jovem. É a aposta do Juventus para tentar não passar susto nesse estadual.

É com um uma folha enxuta, um técnico novato e muita vontade, que o Juventus entra no campeonato com um objetivo claro: não cair. Pelo menos por agora, não há sinal de uma crise como foi em 2013. E para não voltar para a segunda divisão, vontade não vai bastar. Em um campeonato tão equilibrado, essa mistura vai ter que dar em muito futebol.


Um comentário:

  1. Me lembro como se fosse ontem a coletiva da saída do Jerri Luft jogando merda no ventilador...

    ResponderExcluir