sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Catarinense 2014: Marcílio Dias


CLUBE NÁUTICO MARCÍLIO DIAS
Fundação: 17 de março de 1919
Cores: Azul e Vermelho
Estádio: Dr. Hercílio Luz - 10.000 lugares
Presidente: Marlon Bendini
Técnico: Guilherme Macuglia
Ranking "BdR" 2013: 10o. lugar
Catarinense 2013: Campeão da Divisão Especial


Depois de uma campanha desastrosa sob o comando de Jamelli e com o marinheiro Popeye sendo o símbolo de um ano de insucesso, o Marcílio teve que passar pelo martírio da segundona para arrumar a casa e voltar à primeirona um pouco mais organizado. Marlon Bendini reassumiu a barcaça, montou o time que, sob o comando de Paulo Foiani, conquistou o título da Divisão Especial. Mas para reestruturar, não basta apenas conquistar o acesso que tudo fica maravilhoso. Estruturar a casa é mais do que preciso para que o clube não faça o bate-volta. Um dos problemas críticos do Marcílio era o gramado do Estádio Dr. Hercílio Luz. No ano passado, vários times da terceira divisão destruíram o que sobrou do terreno, que já não era bom. Um bom sinal para 2014: depois de muitos anos, todo o gramado foi trocado, e junto a promessa de que os Barras, Navegantes e outros times da vida que aparecerem não vão gastar o campo novinho.

Falando do time: Paulo Foiani acabou não permanecendo no clube mesmo com o título da segundona. Para comandar o projeto 2014, chegou o experientíssimo Guilherme Macuglia, de 52 anos e uma extensa ficha de clubes na carreira. Campeão Brasileiro da Série C em 2006 com o Criciúma, Macuglia volta a Santa Catarina após abandonar o mesmo Tigre em 2011. Nesse intervalo, passou por Caxias, Paraná, Rio Branco-AC e Cerâmica. Treinador acostumado com o Estadual e com grandes desafios, foi um achado do Marcílio Dias, que usou bastante da palavra "experiência" para montar o time. O motivo disso, segundo o técnico, é colocar um time em campo que não tenha medo de jogar fora de casa contra os times grandes.

E experiência não falta para esse time do Marcílio. Vários jogadores rodados estão no elenco, que promete fazer o caminho inverso da tragédia acontecida com Jamelli há dois anos. Dos principais nomes, destaca-se o atacante Schwenk, de 34 anos, ex-Botafogo, Figueirense e Criciúma. Campeão Catarinense em 2006 com o Figueira, vem para ser a referência do ataque do time, que também conta com a experiência de Bruno Octávio, ex-Corinthians, Harison, ex-São Paulo, Márcio Careca, ex-lateral do Vasco e o goleiro Fabiano, ex-Criciúma e JEC, que estava atuando no futebol amador do Sul do Estado e trabalhando em uma mina de carvão, depois de passar dois meses na prisão por falta de pagamento de pensão alimentícia. Outros nomes rodados no futebol catarinense são o lateral Thoni, os volantes Xipote e Fabiano Silva, o meia Clebinho e o atacante Felipe Oliveira. Como dá pra ver, o Marinheiro apostou em gente que conhece muito do campo para tentar ir longe no Estadual. Metade do elenco tem mais de 30 anos.

Nos jogos-treino realizados até agora, o time ainda não convenceu. Falta um bom caminho para que o padrão ideal de jogo apareça, e pouco tempo até a estreia. Macuglia tem falado abertamente que precisa de reforços, já que parece, pelo jeito, que o time experiente ainda não funcionou. O Marcílio Dias é a grande incógnita desse campeonato. Pode dar muito certo, com a turma rodada conseguindo passar pelos adversários com toda a catimba e experiência, como também pode dar muito errado e o time brigar contra o rebaixamento no hexagonal final. É aguardar pra ver.





Nenhum comentário:

Postar um comentário