sábado, 11 de janeiro de 2014

Raio-X dos adversários catarinenses na Copa do Brasil

Definido em sorteio, os times catarinenses conhecem seus adversários na primeira fase da Copa do Brasil. Uns conhecidos, outros incógnitas. Um pequeno resumo de cada um:

Plácido de Castro-AC (adversário do Figueirense): time de uma cidadezinha de 17 mil habitantes próximo à fronteira com a Bolívia, o Plácido é o atual campeão acreano e nem começou a pré-temporada de 2014, já que o campeonato estadual começa em 1o. de março e o time só entra em campo em 12 de fevereiro, na estreia da Copa Verde contra o Nacional-AM. O time ainda tenta fechar com o treinador Nilton Nery, que levou o time ao título no ano passado. O presidente do clube, Josué Carvalho, não gostou de ter que enfrentar o Figueirense. "Esperava um time de maior expressão", disse ele, que esperava fazer uma renda maior com um time do eixo Rio-São Paulo. O Plácido tem uma dívida acumulada de R$ 280 mil do ano passado.

Naviraiense-MS (adversário do Avaí): time que eliminou a Portuguesa dentro do Canindé no ano passado, chegou a eliminar o Paysandu na segunda fase, mas acabou desclassificado no STJD por causa da escalação de um jogador irregular (só pra constar, o advogado do clube no caso foi João Zanforlin, o mesmo da Portuguesa). Vice-campeão do Mato Grosso do Sul, o time de Naviraí tem como técnico Válter Ferreira, que já conquistou o título estadual cinco vezes, incluindo o do ano passado, pelo Cene. No time, destacam-se o atacante Pablo, artilheiro do estadual do MS em 2008, o zagueiro Robenval e o atacante Keverson, que já jogou no Metropolitano de Blumenau.

Londrina-PR (adversário do Criciúma): sem dúvida o mais difícil dos adversários dos catarinenses na primeira fase. O Tubarão foi o dono da melhor campanha entre todos os times do Campeonato Paranaense do ano passado. Só não foi campeão do primeiro turno por causa de um lance duvidoso do Coritiba no último jogo, em um estádio do Café lotado.  O LEC é comandado pelo empresário Sérgio Malucelli, de uma das mais tradicionais famílias do Paraná e que há muito tempo mexe com futebol.  É o mais influente empresário do interior do Paraná, e apostou no projeto do Londrina para ganhar terreno em âmbito nacional. Para 2014 investiu forte, querendo o título estadual e ir longe na Copa do Brasil. O técnico é Claudio Tencati, que já está no clube há quase três anos. O time não tem muitos jogadores conhecidos, mas dois já passaram pelo futebol catarinense: Diogo Roque e Neilson, ambos ex-Chapecoense.

Novo Hamburgo-RS (adversário do Joinville): dá pra dizer que é o mais "catarinense" dos adversários. A começar pelo técnico, Itamar Schulle, campeão catarinense como jogador pelo Brusque em 1992 e que treinou várias equipes em Santa Catarina. O time tem investimento pesado, já que cada time do interior gaúcho recebe cerca de um milhão de reais da TV somente para os três meses do estadual. No elenco estão jogadores rodados no sul, como o goleiro Marcelo Pitol (ex-JEC), os zagueiro Fred (ex-Figueirense) e Souza (ex-Chapecoense), os laterais Paulinho (ex-Avaí) e Anderson Pico (ex-Chapecoense) e o bom atacante Jonatas Belusso, cria do XV de Indaial e que passou por Metropolitano, Juventude e Guaratinguetá. Um grupo experiente que conquistou a Copa FGF no ano passado, sobre o São José de Porto Alegre. Promete complicar bastante a vida do Joinville.

Real Noroeste-ES ou Rio Branco-AC (adversário da Chapecoense): os dois times vão se enfrentar em um mata-mata prévio. Em rápidas linhas: O Real Noroeste, da cidade de Água Branca, é treinado por Rubens Santos, técnico do sub-20 no ano passado. Assim como todos os times do futebol capixaba, tem o investimento bem baixo comparando com os outros estados. Já o Rio Branco disputou a Série C no ano passado, sendo rebaixado. Tem 43 titulos acreanos e ainda não iniciou a pré-temporada, já que o campeonato estadual só começa em primeiro de março. É o favorito para enfrentar a Chape.




Nenhum comentário:

Postar um comentário