quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Bola parada que sobe o Figueira

Eduardo Valente / Notícias do Dia
O Figueirense precisou de três jogadas de bola parada para definir o jogo contra o JEC. Três bolas que saíram dos pés de Marcos Assunção para os zagueiros Nirley e Thiago Heleno mandarem para o gol de Ivan. É uma arma perigosa que o alvinegro arrumou para subir na classificação e carimbar vaga no quadrangular. Uma certeza que o nível do time sobe demais quando o veterano camisa 20 está em campo.

O JEC foi envolvido. O meio não funcionou, o ataque não recebeu bola e o ponto fraco da bola aérea da defesa apareceu. Hémerson Maria gritou, mexeu, fez o que é possível, mas não conseguiu. Vitória totalmente justa do time de Eutrópio, que vai com uma moral enorme para o clássico de domingo. Para o Joinville, não há terra arrasada. O time só depende dele para classificar, nos jogos contra Ibirama, Brusque e Marcílio. De três jogos seguidos fora de casa, o tricolor ganhou dois. Não deixa de ser um bom aproveitamento.

O Figueirense está muito próximo de ser o primeiro time a carimbar vaga no quadrangular. Vencendo o clássico, o time pode chegar ao objetivo com boa antecedência. Mas uma coisa me dá uma pulga na orelha: contra o Joinville, Marcos Assunção foi decisivo, assim como foi em Ibirama e contra o Metropolitano. Estaria o time superdependente dele? E se acontecer alguma lesão, que é algo totalmente possível, ainda mais se falando de um atleta da sua idade? Em uma temporada estafante que vem pela frente, isso precisa ser considerado. Um Plano B precisa estar na manga.


Nenhum comentário:

Postar um comentário