quinta-feira, 13 de março de 2014

A lambança de Berkenbrock e a liderança do Figueira

Carlos Berkenbrock, até o final do ano passado, era assistente Fifa. Um cara que já trabalhou em jogos da Libertadores da América. Um árbitro considerado da elite, que cometeu um erro que nem pode ser considerado infantil. Um impedimento fácil, claro, sem interferência, na sua cara, bem na sua frente, que interfere diretamente na classificação do quadrangular final do catarinense.

Mais uma vez, a arbitragem do estado interfere de forma direta na tabela de classificação. O que vai acontecer? Nada. A lambança está feita.

E o time capenga do Criciúma, que não está convencendo, vence um jogo terrível com o Metropolitano, onde o empate seria o mais justo. Pensa na revolta lá em Blumenau.

E em Joinville, o Figueira arrumou mais um importante pontinho. Saiu atrás e conseguiu o empate na bola parada de Marcos Assunção para Nirley. O time da casa não foi forte o suficiente. Hemerson Maria inventou demais, parecia Ricardo Drubscky ao tirar Saci da lateral esquerda e fazer o time funcionar sem equilíbrio. Demorou pra mexer. Nos minutos finais, foram algumas chances perdidas e até bola na trave. Mas o empate não saiu do placar.

Final de primeiro turno e ninguém disparou.  Figueira e Metropolitano terão dois jogos em casa, enquanto Criciúma e JEC terão que buscar pontos fora. Em um quadrangular que, de seis jogos, quatro terminaram empatados, pode ter time se classificando com nove ou até oito pontos. O que deixa a disputa totalmente aberta. Veremos a segunda parte do "Mata-mata" no domingo.




Nenhum comentário:

Postar um comentário