domingo, 13 de abril de 2014

Sangue nos olhos, o detalhe e o título alvinegro

Eduardo Valente / Notícias do Dia
Em um jogo tenso e equilibrado, não há espaço para fraqueza.

Foram 45 minutos de um grande fraquejo do Joinville. Do outro lado, havia um time "pilhado" do Figueirense, que não pensou em dar botinada e jogou bola com sangue nos olhos. E enfrentou um adversário que estava com o futebol em algum lugar, menos no Scarpelli, no primeiro tempo. Afinal, onde estava o JEC que chegou na final?

Um jogo que pode ir pra história até do futebol mundial por ter um pênalti marcado aos 10 segundos de jogo, em uma entregada de Murilo Um gol que mudou todo o esquema montado por Hemerson Maria, que optou em mudar a proposta do jogo de ida, ao invés de apenas substituir Jael. Aí, perdendo no começo de jogo, e com Murilo sem ritmo, o tricolor não botou a cabeça e o futebol no lugar e foi presa fácil.

Um lance polêmico no segundo gol, é verdade. Vai servir pro torcedor do JEC reclamar pra sempre. Mas o time fez por merecer coisa melhor no primeiro tempo?

No segundo, o Figueira tratou de segurar. O JEC voltou a ser o time do primeiro jogo, pressionou, descontou e quase empatou numa defesaça de Volpi em um lance de Francis. Não havia mais tempo. O Figueirense é campeão com a vantagem da melhor campanha do quadrangular e por jogar ligado durante todos os noventa e poucos minutos do jogo. Em uma partida como essa, não há espaço para fraquezas. Vinicius Eutrópio fez o time entrar com uma garra incrível.

Além do primeiro tempo ridículo, o torcedor do Joinville também pode reclamar do jogo de Blumenau contra o eliminado Metrô no quadrangular, onde o time tinha a chance de ter a vantagem dos resultados iguais e da final em casa. Viesse a vitória, a história podia ser outra. Como o time não conseguiu fazer o seu dever, foi a final com desvantagem, sem conseguir superar o cascudo time do Figueirense.

Se diz aquela máxima que o futebol é detalhe, foi ele que deu o título pro Figueirense. Para quem fosse, seria justo. Parabéns aos alvinegros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário