quinta-feira, 12 de junho de 2014

Venceu, mas há muito pra consertar

Jeferson Bernardes / VipComm
O gol de bico marcado por Oscar no final do jogo de certa forma abafa o pênalti inexistente que o juiz japonês inventou, e que poderia dar aquela "pulga atrás da orelha" do time ter vencido com ajuda da arbitragem. Tipo do jogo em que permite duas versões. Mas vou olhar para o time do Brasil e o que ele tem que fazer lá na frente.

Houve um terceiro gol, o Brasil venceu. Mas há muito para consertar. O time penou para jogar bola, mostrou nervosismo, dependeu de atuações individuais e teve muita dificuldade para lidar com a forte marcação. Que isso seja apenas um sintoma da estreia.

Era visível o nervosismo do time brasileiro. E para complicar, um gol contra no começo do jogo que dói até em jogo amistoso, e que derruba o psicológico construído durante a semana. O time que se emocionou e vibrou na execução do hino não foi vibrante em campo. Sem o time funcionando no coletivo, teve que aparecer um chute rasteiro de Neymar, que poderia muito bem ter sido expulso um pouco antes por deixar o cotovelo no jogador croata, para deixar o jogo de novo no "zero a zero". Era só conversar e organizar o time no vestiário e fazer, emfim, o time funcionar.

Só que a conversa não funcionou, e Felipão teve que colocar Bernard para tentar furar a defesa croata com o talento individual. Eu gostaria de ver a superação em campo para buscar a vitória, mas o juiz resolveu estragar a festa marcando um pênalti inexistente. Isso passou o vírus da destruição psicológica para a Croácia, que mostrou ser um time duro na queda, que vendeu caro a derrota.

No final, com a opção do contra-ataque aberta, Ramires dividiu a bola, Oscar fez um gol à lá futsal e confirmou o troféu de melhor em campo. Vitória conquistada e muito o que ajustar.

Foi o primeiro jogo de uma primeira fase de Copa, com jogadores ansiosos pela primeira vez. Ironia ou não, os setores que menos funcionaram foram os de jogadores veteranos, como as laterais de Daniel e Marcelo e Fred lá na frente.

A melhor notícia foram os três pontos. Agora passou a tensão da estreia. Muita coisa para Felipão acertar até o jogo em Fortaleza. Quero acreditar que foi um aviso inicial. Aviso esse que aconteceu na hora certa. No primeiro jogo pode.



Nenhum comentário:

Postar um comentário