sexta-feira, 4 de julho de 2014

E teve drama de novo. Brasil na semifinal, hora de separar os meninos dos homens

Jefferson Bernardes / Vipcomm
Um jogo que parecia ser sossegado, com uma vitória tranquila e que poderia marcar uma reação acabou virando mais um daqueles dramalhões nos minutos finais. Nada comparado ao jogo do Chile, mas teve drama. No fim deu certo, e o Brasil foi para a semifinal, daquele jeito.

Partida de forte elemento emocional, coisa de confronto sul-americano. Com um árbitro que deixou o pau comer em campo, a partida tinha uma cara de jogo de Libertadores em um alçapão qualquer na Argentina ou do Uruguai.

Com o Brasil, já foi dado o recado: não vai ter jogo sem emoção. Partida em que a seleção mandou no primeiro tempo. Meio time da Colômbia tremia feito vara verde em campo. Conseguiu fazer apenas um gol com Thiago Silva e tinha todas as oportunidades e caminhos para matar o jogo. Não marcou mais um e deu a deixa para que Pekerman controlasse os nervos da turma colombiana.

Com o segundo tempo rolando e o ataque brasileiro mais uma vez decepcionando (Fred mais uma vez nulo em campo), coube a David Luiz chamar a responsabilidade e mandar um pombo sem asa para fazer os 2 a 0, fazendo o que a turma lá da frente não estava dando conta. Felipão mais uma vez acusou o golpe. Trouxe o time para segurar o resultado. Tomou um gol de pênalti e mais um abafa nos minutos finais.

Alívio, time classificado.

Mais uma vez escrevo com misto de alívio, felicidade e outro tipo de preocupação. A partida contra a Colômbia teve no controle de nervos um fator importantíssimo. Todos conhecem o futebol alemão, com jogadores experientes, que mostram frieza e um grande pragmatismo em sua proposta de jogo. O Brasil bateu um grande adversário e terá pela frente o mais forte deles, que tem como característica o inverso do rival de Fortaleza. Há muito o que conversar até terça-feira. Bobeadas, nervosismo e desorganização tática podem custar um sonho de quatro anos.

Que venha a Alemanha. Hora de separar os meninos dos homens.

E palmas para o partidaço de David Luiz. Grande candidato a craque da Copa.


Nenhum comentário:

Postar um comentário