terça-feira, 14 de outubro de 2014

FCF e MP barram cinco torcidas organizadas. Efeito prático: nenhum

Não é a primeira vez que isso acontece. FCF e Ministério Público resolveram banir símbolos e vestimentas de cinco torcidas organizadas do Estado: Mancha Azul, Gaviões Alvinegros, União Tricolor, Fúria Marcilista e a Força Independente do Brusque (e não "Torcida Jovem" que inventaram por aí), que só vai voltar a campo no meio do ano que vem, na segundona.

Qual o efeito prático dessa decisão? Nenhum. Pro pessoal ir pro estádio com ou sem uma camisa de torcida, dá na mesma. Se o cara quiser aprontar, vai se meter no meio do torcedor comum que nada tem a ver com organizada.

Ao mesmo tempo, houve hoje o anúncio de que a Polícia Militar vai escoltar os ônibus de torcedores do Joinville (muitos de organizada, mas sem algo que o identifiquem como tal), durante todo o trajeto de ida e volta, algo em torno de 360 km de operação.

Mais uma vez está provado que as autoridades não agem para resolver o problema e identificar os criminosos. Na emboscada de avaianos em Barra Velha, ninguém foi preso. No crime de Balneário Camboriú que vitimou o torcedor João Grah, os responsáveis foram identificados, mas ninguém foi preso. (veja abaixo matéria do "Cidade Alerta", da RICTV Record).

Pra que um crime seja solucionado, é necessário que se encontre um culpado, e que ele seja preso. Nesse caso, ninguém está indo pra cadeia. Suspensão pra inglês ver, já que o problema não será resolvido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário