sábado, 29 de março de 2014

Lima, rumo Chapecó

Paysandu.com.br
Falta apenas a liberação do Paysandu para que o atacante Lima volte ao futebol de Santa Catarina. Desta vez, na Chapecoense.

Autor de 13 gols até agora na temporada, o maior artilheiro da história do Joinville está muito próximo de Chapecó. Segundo informações, ele já acertou bases salariais com o Verdão e depende apenas da liberação do time paraense, que enfrenta o Remo neste domingo e terá no dia 20 a decisão da Copa Verde contra o Brasília.

Segunda-feira, depois do clássico Re-Pa, o Paysandu deve fazer uma contra-proposta. Pode pesar o fato de Lima poder jogar uma Série A, e provavelmente, como titular da Chapecoense. O clube paraense pode querer endurecer para liberá-lo, mas não será fácil segurar o jogador, já que o Verdão acena com o pagamento da multa rescisória.

Para o time de Gilmar Dal Pozzo vai ser uma boa. É um atacante que todos sabemos que é goleador, vive boa fase no futebol paraense (é o terceiro colocado do Prêmio Friendenreich), tem moral em Santa Catarina e, no concorrido mercado do futebol onde é difícil achar um camisa 9, trazê-lo da Série C, onde não há muita badalação, é um bom negócio.

Atualização das 21:24: Fontes próximas ao atacante garantem que Lima já tem contrato assinado com a Chapecoense. Deve viajar provavelmente após a decisão da Copa Verde, no dia 20.



quinta-feira, 27 de março de 2014

O que aconteceu com o Brusque

Depois de mais uma derrota no campeonato, dessa vez para o Avaí, que foi ajustado por Pingo, o Brusque está no início de um namoro com a zona de rebaixamento.

Pra piorar, Joceli dos Santos pediu demissão antes mesmo do jogo. Comunicou para a imprensa depois. Disse que tinham jogadores "que se achavam o Pelé". A diretoria já anunciou a contratação de Lio Evaristo, ex-técnico do Metropolitano.

Alguns já vieram perguntar "o que acontece com o Brusque?". São alguns fatores que nada tem a ver com a troca de técnico.

Domingo, depois do jogo em Chapecó, o atacante Ricardo Lobo, que começou bem e, com a sequência de más atuações parou no banco de reservas, veio para a imprensa criticar o técnico. Trouxe pra fora algo que estava bem pesado dentro do clube: depois de serem chamados de "sensação" e quase se classificar para o quadrangular, o sucesso subiu na cabeça de alguns jogadores. Empresários ligando e contatos de outros clubes fizeram o time perder o foco. E olha o que aconteceu.

Enquanto há no elenco jogadores que mostram motivação, outros não estão nem aí e vão provando que não são isso tudo. O que dizer do atacante Eydison, de 13 gols marcados na segunda divisão e apenas um no Estadual deste ano? Um dos maiores salários do time, prova que é um jogador muito bom para divisões de acesso. E é impressionante a queda de rendimento do time como um todo. Aquele time vibrante da primeira fase desapareceu.

O que fazer? A diretoria tem que tomar as rédeas da situação antes que Juventus e Ibirama resolvam reagir. A situação ainda não é para desespero, mas inspira cuidados.

É ver se Lio Evaristo arruma a casa. Não é tão complicado.

terça-feira, 25 de março de 2014

Como rasgar um regulamento, por FCF

O regulamento da Copa Santa Catarina de 2013, vencido pelo Joinville,que teve o Metropolitano como vice e o Guarani como terceiro colocado, é tão claro que dói a vista. Não deixa dúvida nenhuma quanto à distribuição de vagas para a Série D:

§ 1º Caso a associação que se sagrar a campeã da COPA SC/2013 já for integrante dos 
Campeonatos Brasileiros das Séries “A”, “B” , “C” ou “D” de 2014 ou vier a conquistar a primeira vaga da  Federação Catarinense de Futebol do Campeonato Brasileiro da Série “D” de 2014 através de sua classificação no Campeonato Catarinense de Futebol Profissional da Divisão Principal de 2014, a segunda vaga da FCF no Campeonato Brasileiro de Futebol da Série “D” de 2014 será da associação que, dentre as  não integrantes dos Campeonatos Brasileiros das Séries “A”, “B”, “C” e “D” de 2014, obtiver a melhor  colocação nesta competição (COPA SC/2013), conforme o disposto no art. 10 deste Regulamento. 

§ 2º Se porventura, além da associação campeã, a vice-campeã, ou ainda, as demais associações de 
colocações subseqüentes da COPA SC/2013 já forem integrantes dos Campeonatos Brasileiros de 2014, a segunda representante da FCF no Campeonato Brasileiro da Série “D” de 2014, será a associação que, excluídas as já integrantes dos Campeonatos Brasileiros mencionados no parágrafo anterior, obtiver a melhor colocação nesta competição (COPA SC/2013), na forma estabelecida no art. 9º deste Regulamento. 

Seguindo a ordem de todos os outros anos, Metropolitano leva a vaga como quarto lugar do Estadual, deixando a vaga da Copa Santa Catarina para o terceiro colocado, Guarani de Palhoça.

Desde 2009, quando a Série D teve sua primeira edição, foi assim.

Agora, a dona FCF, usando um ofício bem complicadinho da CBF, vai dar a vaga da Copinha para o melhor time do hexagonal do Estadual, tirando o Guarani de Palhoça da disputa.

É simples: quem decide a distribuição das vagas (e principalmente a segunda delas) para a D é a Federação, e não a CBF.

Vamos relembrar um pouco como foi a distribuição em anos anteriores? Em vermelho, aconteceram dois casos iguais ao de 2014:

2009: Brusque (campeão da Copa SC 2008) e Chapecoense (melhor do Estadual 2009)
2010: Joinville (campeão da Copa SC 2009, mas vice-campeão do Estadual 2010) e Metropolitano (vice-campeão da Copa SC 2009, entrou pois o JEC levou a vaga pelo Estadual)
2011: Brusque (campeão da Copa SC 2010) e Metropolitano (melhor do Estadual 2011)
2012: Metropolitano (melhor do Estadual 2012 e terceiro lugar na Copa SC 2011) e Concórdia (a vaga era do Brusque, vice-campeão da Copinha, que desistiu. Como o Metrô já tinha vaga pelo Estadual, a chance passou para o Marcílio Dias, que também abriu mão. Último colocado da competição, o Concórdia decidiu jogar o campeonato).
2013: Metropolitano (melhor colocado do Estadual 2013) e Marcílio Dias (vice-campeão da Copa SC).

Os regulamentos são iguais em todas as temporadas, e nos anos de 2010 e 2012, foi obedecida a mesma lógica que colocaria o Guarani na Série D em 2014. Mas como se trata de um clube pequeno da segunda divisão, talvez a leitura do regulamento não tenha sido a mesma.


domingo, 23 de março de 2014

É JEC na final

Carlos Junior / Noticias do Dia
Jogo disputado, entre os dois melhores times a essa altura do campeonato. O Joinville perdeu chances na cara do gol, mas conseguiu marcar, em um lance chorado no fim da partida. Passaporte garantido na final. O tricolor do norte volta à final depois de quatro anos, e vai tentar o título que não vem desde 2001, ainda na era do Ernestão.

E Hémerson Maria chega a sua segunda final em três temporadas.

Um time que passou por perrengues para chegar na final. Depois de fazer dois pontos nos três primeiros jogos do Estadual, o time jogou a primeira fase pressionado. Venceu Avaí e Juventus fora de casa, e poderia cair fora se tivesse perdido em Brusque. Arrumou um empate e classificou. No quadrangular, depois de dois empates em casa, foi pressionado de novo para o Scarpelli. Venceu, depois bateu o Tigre em casa e carimbou vaga na final.

Contra o Criciúma, foram duas chances mais do que claras no primeiro tempo, do tipo jogador na cara do gol, coisa de falta de tranquilidade. A impaciência aumentava, e a tensão do torcedor crescia. No segundo tempo, o Tigre fechou os espaços. Caio Junior tirou Gustavo e perdeu a referência na área, preferindo segurar o empate do que pressionar para a vitória. O Joinville não perdeu a cabeça e foi buscar furar a linha de zaga criciumense. Conseguiu, em um gol chorado de Jael. Passaporte carimbado.

Agora, o Joinville vai a Blumenau no domingo para tentar garantir a decisão na Arena. Do outro lado, Criciúma e Figueirense vão decidir a outra vaga, com o empate favorecendo o Alvinegro. O que é promessa de um grande jogo. O Tigre, que tem um time melhor, vai pegar um Figueira desfalcado e que joga por dois resultados.

Última rodada que promete.