sábado, 20 de setembro de 2014

JEC volta à liderança e dá mais um passo rumo ao acesso

Assessoria JEC
O Joinville enfrentou mais um time que trouxe para a Arena a proposta de marcar forte e tentar encaixar uma jogada de perigo para fazer o crime fora de casa.

Mas dessa vez não houve tanto sofrimento. Bastaram 16 minutos até o gol de Anselmo que abriu o placar. O jogo seguia equilibrado, com o time goiano sem dar espaços e até assustando no ataque na volta para o segundo tempo. Faltava o gol da vitória, que veio numa bela tabela de Jael para Edson Ratinho, que estufou a rede e garantiu a liderança.

Agora, são seis pontos de diferença para o quinto colocado. Significa dizer que o Joinville, se não pontuar, levaria pelo menos duas rodadas para sair do grupo de acesso. É uma vantagem muito considerável a essa altura do campeonato. E tem mais um jogo em casa na terça, contra o América-MG para pavimentar um pouco mais o caminho do acesso.

Não teve espetáculo, mas o time do Hemerson Maria foi eficiente mais uma vez. A Série A está próxima, se o time manter o ritmo.



Avaí freia o Ceará

LC Moreira / Lance! / ND Online
O Avaí foi valente contra o bom time do Ceará. Geninho soube montar o time, segurar o adversário e encaixar bons contra-ataques. Por pouco não sai vencedor do Castelão, mas tudo certo.

Garantiu um ponto importante, que não tem o efeito de subir na tabela, e sim de frear o crescimento do Vozão. Significa dizer que vai terminar a rodada com cinco pontos de vantagem para o quinto colocado, o que é algo bem considerável.

A obrigação era toda do Ceará, que teve mais de dois terços do tempo do jogo com a posse da bola (67,7%). Pressionou, mas encontrou uma porta fechada na defesa que não fez o time dar tantos chutes a mais que o adversário. O Avaí soube identificar as brechas cearenses. Tanto que conseguiu a virada no gol de Marrone. Mas a bola desviada por Vagner no cruzamento de Lulinha acabou nos pés de Magno Alves para o empate.

Nessa altura do campeonato, a liderança é algo simbólico. A referência é o quinto colocado, que estará cinco pontos atrás do Avaí e poderá estar a seis do Joinville no sábado. É a Série A mais próxima.



quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Um tempo pra cada lado, empate justo

Marco Santiago / Notícias do Dia
Figueirense e Criciúma fizeram um jogo bem ruinzinho. Nada de lances espetaculares, mas erros dos dois lados e posturas distintas em cada um dos tempos.

O Criciúma pode lamentar o pênalti perdido por Zé Carlos no primeiro, quando era melhor, mas ao mesmo tempo pode agradecer depois de ter sido dominado no segundo. Se fechou pra segurar o empate.

Argel conseguiu arrumar o time no intervalo, deu uma nova cara ao time do Figueira e conseguiu chegar no empate. Mas faltou o algo a mais para conseguir uma virada. Dal Pozzo sacou Silvinho, o melhor em campo do time, e a qualidade acabou. No fim das contas, empate justo.

O Criciúma conquista mais um pontinho e segue no meio do bolo para tentar escapar do rebaixamento. Vai ter no jogo contra o Botafogo em casa no final de semana uma oportunidade de escapar da zona, ultrapassar o adversário, e é favorito para vencer. Já o Figueirense chega ao terceiro jogo sem vitória. Ainda tem lá uma gordurinha pra queimar. Mas é bom o time vibrante voltar logo ao campo. Quem sabe domingo, lá em Santos.


Seguindo em frente, na frente

Assessoria JEC
A rodada cheia da terça na Série B manteve a dupla catarinense na frente.

Pouco posso falar da vitória do Avaí sobre o Sampaio Correa pois estava trabalhando em outro jogo. Foi no finalzinho, de novo. Três pontos a mais na conta, e agora dois jogos fora de casa, onde o time rende mais. Vamos ver como será contra Ceará e Paraná.

Já o Joinville mostrou um futebol de alto nível contra o Náutico, time que vinha numa crescente e melhorou bastante sob o comando de Dado Cavalcanti. Hemerson Maria soube identificar todos os pontos do adversário. Não foi uma atuação perfeita por causa do erro de Tiago Medeiros que acabou no gol do Náutico, mas a atenção e a atitude do time em segurar o resultado no segundo tempo são dignos de elogios.

Edigar Junio, que era titular absoluto e tinha perdido o posto para Fabinho, recebeu a chance e fez dois. Problema para o treinador resolver. Anselmo também fez boa partida, ajudando a arrumar os erros de Washington. Será que é demais pensar que ele e Naldo possam jogar juntos no time?

E ao contrário do Avaí, o JEC terá pela frente dois jogos em casa, contra Atlético-GO e América-MG. A casa estará cheia e o time cheio de moral. Oportunidade boa para chegar aos 49. O time tricolor está melhorando.


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O furo que tira um forte concorrente ao acesso

Já escrevi aqui uma vez que parece que futebol é jogo de gato e rato fora de campo. Além da disputa em si, os departamentos jurídicos ficam de olho pra ver se não encontram algo de errado. Faz parte do trabalho deles. E como o sistema da CBF é absurdamente falho, o pessoal tem mais é que ficar ligado mesmo.

Aconteceu com o América-MG. Outros clubes checam a situação, sabendo que não dá pra confiar na turma do registro da CBF. O time de Minas não observou e teve o "azar" do JEC ter observado.

Cabe recurso na decisão, mas o argumento é forte. Como disse o presidente da comissão disciplicar, Paulo Valed Perry, não há jeito menos dolorido de punir. É claro, cristalino, dito com todas as letras no regulamento.

Pra turma de cima da Série B, ótima notícia. Um forte concorrente ao acesso sai da briga. Não vinha em boa fase, com três derrotas seguidas. Mas tem um elenco bom, e em condição de brigar. Ou melhor, tinha.

Vai saber o que se passa na cabeça da turma do Pleno, mas o América-MG está numa encruzilhada.

Ponto pra quem ficou de olho e fez cumprir o regulamento, coisa que a CBF mais uma vez não fez.