quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Jogadores do BEC desabafam para a imprensa e entram em greve

Fora dos holofotes da imprensa que centra foco nos times catarinenses das Séries A e B, a nossa segunda divisão mostra mais uma vez que nem tudo é maravilha por aqui.

Mais um exemplo aconteceu ontem, no Sesi em Blumenau. Após a derrota para o Guarani de Palhoça, o elenco do BEC procurou a reportagem da RICTV para desabafar. Alegam dois meses de salário atrasado e dizem que se não forem pagos, não enfrentam o Atlético Tubarão no sábado.

A reportagem é de Emerson Luis, da RICTV Blumenau:

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Morre Waldomiro Schutzler, o maior presidente da história do JEC

Assessoria Pref. Joinville
Faleceu nesta tarde no Hospital São José em Joinville o ex-presidente do JEC Waldomiro Schutzler, aos 82 anos de idade. Estava internado desde a última sexta-feira e não resistiu a uma série de problemas.

Foi o primeiro e o maior presidente da história do JEC, e talvez o mais vencedor do futebol catarinense. Sob o seu comando, o tricolor conquistou 10 títulos, sendo oito deles consecutivos, em 76, 78, 79, 80, 81, 82, 83, 84, 85 e 1987.

Um vencedor que tem o seu nome marcado na história de Joinville, do JEC e do futebol de Santa Catarina.

Seu velório e sepultamento acontecerá na cidade de Canoinhas, no Planalto Norte.


segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Jael está fora da Série B. Péssima notícia para o JEC, mas não o fim do mundo

Reprodução / Instagram
O que era especulação se confirmou: o atacante Jael está fora da Série B. Vai ter que passar por cirurgia no tornozelo esquerdo e vai ficar com o local imobilizado por um bom tempo.

Perde o tricolor o seu artlilheiro (12 gols na Série B, vice-artilheiro até o momento) e Hemerson Maria ganha um baita problema pra resolver.

Muito torcedor do Joinville pode estar pensando agora "ferrou, se foi o nosso acesso". Eu tenho uma visão diferente. Sem dúvida a perda é enorme, ainda mais em um time que tinha um padrão tático definido com a participação do camisa 9. Não há no elenco um atacante com as mesmas características. Nas últimas duas partidas sem ele em campo, contra Ponte Preta e Vasco, o time perdeu, com Fernando Viana e Hugo substituindo-o, respectivamente.

O elenco do Joinville é grande e dá pra criar alternativas, ainda que isso passe por uma reformulação do esquema tático. Hemerson Maria tem competência suficiente para desenhar o time que vai a Natal com uma "versão 2.0" que levará até o fim do ano. Ele tem seis jogadores pra isso: Edigar Junio, Fabinho, Fernando Viana, Schwenck e Hugo, além do jovem Ítalo, que chegou na semana passada. Ainda tem a opção de colocar mais movimentação no meio-campo com a entrada de Jean Deretti, fazendo companhia a Marcelo Costa.

Opções existem e esse é o momento de acreditar no trabalho do técnico e esperar as alternativas que ele vai apresentar. Eu ainda acredito muito no acesso do JEC para a Série A pelo grupo que tem e o trabalho que Hemerson Maria vem realizando. Em 2011, o time foi campeão brasileiro da Série C sem contar com Lima por um bom tempo. Esse raio pode sim cair duas vezes no mesmo lugar.


domingo, 28 de setembro de 2014

Bela virada que põe o Figueira na primeira página

Eduardo Valente / Notícias do Dia
Um jogo modorrento em campo molhado que caminhava para uma derrota amarga virou alegria num piscar de olhos. Bastaram uns 5 minutos.

Dois gols de Clayton, o garoto que pode dar muito bem uma aula grátis ao Valdivia de como se faz um gol, e outro de Marcão para colocar o Figueirense na primeira página da classificação do campeonato, com uma confortável vantagem de sete pontos para o Palmeiras, primeiro time fora da zona de rebaixamento.

Depois de um momento de instabilidade, o time de Argel engata a segunda vitória seguida, que combinada com outros resultados, volta a colocar o time em ótima situação. Fora a moral que dá a virada relâmpago do jeito que aconteceu.

E o supervalorizado Valdivia, jogador em fim de carreira que ganha salário de superstar no Palmeiras, mostrou mais uma vez a sua péssima fase. Perdeu um gol feito, que fez o Figueira acreditar. Todos acreditaram, o time foi pra cima, e a vitória veio.



Antonio Carlos pode se incomodar. Avaí está limpo

Quem jogou bola profissionalmente sabe que xingamentos em campo existem aos montes e de tudo que é tipo. Ali jogam profissionais que são pagos pra isso e que se doam pra conseguir resultado. O problema é que os principais jogos do Brasileirão tem dezenas de câmeras voltadas pro campo.

Antonio Carlos é um desses. Foi xingar o atacante Francis e acabou filmado. Virou assunto e é o novo nome citado quando o futebol brasileiro está vivendo a polêmica do racismo lá na Arena do Grêmio e "macaco" virou palavra proibida. Inclusive, segundo o próprio relato de Francis no Boletim de Ocorrência, o zagueiro avaiano pediu desculpas ao fim da partida.

Sem querer tomar juízo da atitude dele, não vejo como o Avaí ser punido nesse caso. É bem diferente do que aconteceu em Porto Alegre, quando um ato da torcida criou toda a confusão. Se houver denúncia, o jogador vai ter que arcar com as consequências, como é muito bem explicado no artigo 243-G do CBJD (veja abaixo), que diferencia os atos isolados do jogador daqueles que podem ter culpa do clube. A pena prevista é de cinco a dez partidas.

Não tem jeito nenhum do Avaí ser punido, seja com mando de campo ou perda de pontos, como andei lendo nas últimas horas. O clube só pode perder uma coisa, que é Antonio Carlos em campo por algumas partidas.


Artigo 243G do CBJD:

Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009). 

PENA: suspensão de cinco a dez partidas, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de cento e vinte a trezentos e sessenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código, além de multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais). (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009). 

§ 1º Caso a infração prevista neste artigo seja praticada simultaneamente por considerável número de pessoas vinculadas a uma mesma entidade de prática desportiva, esta também será punida com a perda do número de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente, e, na reincidência, com a perda do dobro do número de pontos atribuídos a uma vitória no regulamento da competição, independentemente do resultado da partida, prova ou equivalente; caso não haja atribuição de pontos pelo regulamento da competição, a entidade de prática desportiva será excluída da competição, torneio ou equivalente. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).