terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Vem aí o Ranking "BdR" 2014

O ano de 2014 está terminando, e pela sexta vez o Blog está já fazendo os cálculos para a divulgação do Ranking "BdR" do Futebol Catarinense 2014, onde são analisados apenas os resultados em campo das equipes, dando peso maior àquelas competições mais importantes. A nova classificação será divulgada nos próximos dias. Aqui neste link está o Ranking do Ano passado.


Os critérios para definição do ranking, assim como no ano passado, são os seguintes:

Serão considerados os resultados dos clubes nas últimas TRÊS temporadas (2012, 2013 e 2014). Os pontos conquistados por cada equipe serão considerados, e não os títulos.

O cálculo para se chegar aos pontos ganhos em cada jogo é feito da seguinte forma:

Para jogos de campeonatos estaduais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 1 x (valor do campeonato)

Campeonato Catarinense Divisão Principal (Série A)- 10
Campeonato Catarinense Divisão Especial (Série B)- 6
Campeonato Catarinense Divisão de Acesso (Série C)- 4
Copa Santa Catarina (e no caso do Estadual 2014, o Hexagonal da Morte) - 8

Para jogos de campeonatos nacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 2 x (valor do campeonato)

Campeonato Brasileiro Série A - 10
Campeonato Brasileiro Série B - 7
Campeonato Brasileiro Série C - 6
Campeonato Brasileiro Série D - 4
Copa do Brasil - 8
Recopa Sul-Brasileira - 5

Para jogos de campeonatos internacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 3 x (valor do campeonato)
Mundial de Clubes - 10
Taça Libertadores - 8
Copa Sul-Americana - 7
Recopa Sul-Americana - 5

(importante notar: Catarinense tem peso 1, Brasileiro 2 e Internacionais 3)

Para a pontuação geral, soma-se os pontos de todos os jogos nos últimos 36 meses (2012 + 2013 + 2014) e se divide pelo número de jogos disputados a cada ano, aplicando-se a desvalorização do ano anterior. Os pontos serão a soma das médias dos três anos.

O Ranking também usará o critério FIFA de desvalorização. Ou seja: os pontos conquistados na penúltima temporada serão multiplicados por 0,7. Traduzindo: os resultados de 2012 levam peso 1, os de 2011, vale 70%, e os de 2010 valem metade de 2011.

Obs.: 1) No caso de empate entre dois ou mais clubes, a ordem apresentada no Ranking é meramente alfabética, não sendo levados em conta os campeonatos disputados pelas agremiações.

2) Para efeito de "punição estatística" e equiparação aos clubes que disputaram mais de um torneio no ano, clubes da primeira divisão que só jogaram o Estadual, sem disputar outra competição, seja nacional ou a Copa Santa Catarina, terá computado zero ponto em uma partida na segunda competição.


Hora de recomeçar

*Publicado no jornal "Notícias do Dia" de 30/12/2014

As férias passaram rápido e, na segunda-feira, os clubes que disputaram o Brasileirão se reapresentam para o início da pré-temporada que, desta vez, será bem maior. Com um período de preparação esticado e com o afrouxamento do regulamento do Campeonato Catarinense, não há pressa para que seja apresentado aquele tradicional pacotaço de reforços. A receita é pesquisar bem o mercado, não agir no impulso e se garantir no Hexagonal Final do Estadual. O objetivo é diminuir a margem de erro para que tudo não tenha que ser refeito já no começo do ano, como aconteceu com o Avaí no início desta temporada.

O Criciúma lidera a turma da reestruturação. Vai ter uma queda absurda de arrecadação com o rebaixamento para a Série B e o presidente Antenor Angeloni não esconde a preocupação com a progressiva queda do número de associados. Trouxe um novo executivo de futebol, que fez uma limpa no inchado elenco, dispensando principalmente aqueles que têm salário maior. É um caso de time que será construído com a temporada correndo. A opção de efetivar o interino Luizinho Vieira é clara: se der certo, ótimo custo-benefício. Se não der é só ir no mercado atrás de outro profissional. Mas não pode errar na escolha.

Chapecoense e Figueirense colhem os resultados da permanência na Série A e da sua boa verba disponível para reforços. Tentam manter quem lhes interessa com a valorização natural do mercado. Mesma regra vale para o Avaí e o Joinville. O Tricolor do Norte entra em 2015 com uma vantagem: não teve uma grande perda de jogadores após o título da Série B. Edigar Júnio não é insubstituível, e dentro do elenco há boas opções no ataque para iniciar a temporada. É muito importante não tirar qualquer tipo de conclusão precipitada, mesmo que isso seja complicado em uma competição com forte rivalidade regional.

Quem não tem calma e apressa o ritmo de preparação são os chamados pequenos do Estadual, que já treinam há um mês. A ordem é arrancar com tudo, marcar o maior número de pontos em cima dos grandes nas primeiras rodadas, tentar se garantir no Hexagonal Final e passar longe do risco de rebaixamento.