terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Catarinense 2015: Marcílio Dias


CLUBE NÁUTICO MARCÍLIO DIAS
Fundação: 17 de março de 1919
Cores: Azul e Vermelho
Estádio: Dr. Hercílio Luz - 10.000 lugares
Presidente: José Carlos dos Santos
Técnico: Guilherme Macuglia
Ranking "BdR" 2014: 10o. lugar
Catarinense 2014: 6o. Lugar



O Marcílio Dias viveu um ano de 2014 razoável no campo, mas complicado fora dele. O ambiente do clube foi bastante turbulento por causa do confronto do conselho gestor com o então presidente Marlon Bendini. Mesmo com uma campanha tranquila no campeonato estadual que o levou ao sexto lugar, o Marinheiro teve problemas que vão respingar em 2015, tudo por causa do último jogo contra o Atlético de Ibirama, que aconteceu em circunstâncias muito estranhas, já que o resultado acabou salvando o time do Alto Vale e rebaixando o Brusque. A torcida se revoltou, o presidente da Federação acabou agredido e até cinegrafista recebeu garrafada. Para completar o problema, o clube foi punido com a perda de três mandos de campo e Tarcísio Zanelatto, homem forte dentro do clube e da Prefeitura Municipal, foi até à televisão cobrar uma explicação do presidente sobre os acontecimentos daquela partida. Em uma eleição apertada, José Carlos dos Santos, conhecido como Carlos do Bar (ele trabalhou no bar do Estádio, daí o apelido), conselheiro do clube há quinze anos e membro do conselho fiscal que apontou irregularidades na gestão Bendini, foi eleito o novo comandante do navio marcilista com o apoio da torcida organizada do clube.

O presidente é novo, mas a estratégia é parecida com a de 2014. Depois de Carlos falar na imprensa que iria montar um time barato, ele teve um aceno positivo do conselho gestor que vai pagar a conta da montagem do elenco. O time rubro-anil trouxe de volta para o comando técnico a experiência de Guilherme Macuglia, de 53 anos, campeão brasileiro da Série C em 2006 pelo Criciúma. Treinador com muita bagagem em mais de 20 anos de carreira, é um excelente nome para tocar um elenco que sobra experiência, com vários atletas que passaram por times de elite.

O plantel é melhor que o do ano passado. Teve a volta de Schwenck, campeão da Série B pelo JEC que terá a companhia de Soares, ex-Figueira e Grêmio, no ataque. O meio-campo vai contar com Athos, ex-Criciúma e Chapecoense, e o volante Túlio Souza, ex-Botafogo. Na defesa estarão os irmãos Rogélio e Neguete, além do experiente lateral-direito Thoni. A ideia é trazer um time rodado que possa trazer resultado a curto prazo, já que a primeira fase tem apenas nove rodadas e o Marinheiro tem o objetivo de conquistar uma vaga na Série D deste ano.

Estou curioso para ver esse time carregado de experiência em campo em um jogo oficial. No papel, o Marcílio aparece como o grande favorito dessa disputa a parte entre os chamados "pequenos" no estadual. Mas pesa contra o time de Itajaí o fato de mandar três dos seus cinco jogos na primeira fase no acanhado estádio Robertão, em Camboriú. Se passar por isso e o time encaixar, o marinheiro tem tudo para voltar a disputar o Campeonato Brasileiro.




Um comentário:

  1. E a morte do Avaiano João? ninguém mais comenta nada, todos ficaram impune, aí não me deixam tomar uma gelada no estádio e nem entrar com papel picado VERGONHA

    ResponderExcluir