domingo, 1 de fevereiro de 2015

Instabilidade e arbitragem, ingredientes do empate na Arena

Assessoria JEC
Quando o JEC começou a partida contra o Avaí a 200 por hora fazendo 2 a 0 em vinte minutos contra o Avaí, parecia que o jogo seria fácil.

Só parecia. Geninho montou uma linha de três volantes na frente da zaga que pegou um meio-campo travado do tricolor, sem uma saída de qualidade, que acabou tomando conta da partida e conseguindo o empate, que poderia ser virada não fosse uma bola na trave, uma bela defesa de Ivan e um pênalti legítimo não marcado por Rodrigo D'Alonso. O segundo tempo foi todo avaiano, que fez por merecer três pontos e volta pra casa deixando boa impressão.

A primeira rodada não serve de avaliação para nada. Ambos os times mostraram sinais do início de temporada e apresentaram problemas que só aparecem em jogos oficiais. O JEC, por exemplo, precisa achar a sua configuração ideal no meio. Augusto é bom jogador, mas falha na volta da marcação. Hemerson Maria tentou arrumar colocando Eduardo, mas ele só piorou o que estava ruim. Já o Avaí tem os titulares suspensos para estrear, dando uma pequena dor de cabeça para Geninho, que viu gente mostrando serviço na Arena. Assim como também viu William Rocha fazer uma lambança em cima de outra e ser expulso.

No sábado Criciúma e Chapecoense venceram bem, o que também não quer dizer muita coisa. Os grandes vão jogar para se classificar, e no hexagonal a história é outra. Lá pela terceira ou quarta rodada dá pra enxergar um cenário mais claro.

E é assim, com times abusando de jogos-treinos, muitos escondidos, que o futebol começa a aparecer no começo de temporada.





Nenhum comentário:

Postar um comentário