terça-feira, 28 de abril de 2015

O tapetão voltou em grande estilo em SC

O "melhor campeonato de todos os tempos" alardeado pela FCF tem o seu terceiro caso de escalação de jogador irregular. Agora foi o Joinville, que na boa vontade de colocar a base para jogar contra o Metropolitano para cumprir tabela, esqueceu de conferir os contratos de todos, e André Krobel foi colocado no banco sem contrato profissional, tendo 20 anos completos. Caso semelhante ao do Marcílio Dias, que perdeu pontos pela escalação de Rodrigo Pita.

A diferença é que o Marinheiro, que já estava no quadrangular da morte, não recorreu ao STJD, que tem uma interpretação diferente do TJD-SC, que pune o clube apenas quando o jogador entra em campo. Foi assim com o América-MG no caso Eduardo, em denúncia formulada pelo próprio JEC. Num primeiro momento, o clube mineiro foi punido com a perda de 21 pontos. No recurso, o Pleno entendeu que a punição deveria acontecer apenas na partida em que ele entrou em campo, e com isso apenas 6 pontos foram retirados.

Chama a atenção do fato aparecer somente agora, no meio da semana decisiva do campeonato. O JEC errou e tem culpa nisso, mas.... porque só agora? Por que o sistema eletrônico da Federação Catarinense de Futebol não acusou o erro? É necessária uma denúncia para que o erro não passe batido?

Uma possível punição não muda os finalistas do campeonato, mas inverte o mando, com o Figueira jogando a decisão no Scarpelli e a vantagem dos resultados iguais. Em quais datas? Vem aí a Série A, no meio de semana tem a Copa do Brasil, e a primeira data disponível é 20 de maio. E como ficam aqueles jogadores com contrato a encerrar? E aqueles que estão lesionados, caso de Rafael Bastos? E a suspensão de Wellington Saci, como fica?

Um pepino sem tamanho,  que poderia ser facilmente resolvido se, no dia seguinte, a tal da súmula eletrônica acusasse o problema. Não acusou, e agora a FCF se vire.

E o Joinville hein... caiu num erro em uma partida que não valia absolutamente nada. Kroebel nem precisaria ter ido pro jogo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário