terça-feira, 5 de maio de 2015

Julgamento do TJD foi só um esquenta para a batalha no Rio

Assessoria JEC
Ainda que muita gente tenha externado pelas redes sociais sua comoção, alegria ou revolta com o resultado do primeiro julgamento do caso André Krobel no TJD-SC, nada fugiu do que era esperado. E digo mais, o pleno deve repetir a decisão na semana que vem, provavelmente com outra unanimidade.

O advogado do JEC, Dr. Roberto Pugliese, usou de uma argumentação que dificilmente seria digerida pelos auditores, mas que provoca uma reflexão principalmente na parte que a FCF também tem uma responsabilidade sobre tudo isso. O erro do Joinville ninguém discute, mas a lentidão que a Federação tratou o assunto (três dias úteis pra checar uma súmula), somada com a falta de um sistema informatizado de controle, isso sim dá pra reclamar.

Mas o assunto do post não é esse. Todos foram para a sede da FCF sabendo o que ia acontecer. Incrível seria se o Joinville conseguisse reverter em uma esfera que coleciona condenações. Na semana que vem vai ser igual.

Guerra mesmo vai ser no Rio de Janeiro. O JEC tem a firme ideia de que será salvo pelo fato de André não ter entrado em campo, enquanto o jurídico do Figueira vai apontar suas armas para desconstruir esse argumento.  O que aconteceu e acontecerá em Balneário é só um esquenta para a hora da verdade, que vai demorar um tempo para chegar, por causa da pauta cheia da última instância da justiça desportiva.

Depois de tudo isso, o caso retorna para a Federação, que terá uma bomba nas mãos se o STJD confirmar a condenação. O título troca de mãos ou novos jogos acontecerão? Aí eu quero ver.




Nenhum comentário:

Postar um comentário