domingo, 14 de junho de 2015

Empate frio no tempo regulamentar, polêmica nos acréscimos

Anderson Pinheiro / Mafalda Press / Notícias do Dia
A chuva e o frio acabaram dando uma boa amenizada no clima do clássico Avaí x Figueirense. O clima refletiu diretamente no público de pouco mais de 8 mil torcedores, que viram um jogo igual dentro de campo, diante das dificuldades do gramado, e a interferência direta da arbitragem nos acréscimos.

O Figueira acabou prejudicado pela "retirada judicial" de França, algo que, segundo advogados amigos meus que consultei, tratou-se de um excesso nunca visto no futebol (tanto que o clube conseguiu liberá-lo, quando a bola já estava rolando). Mesmo assim, não sei se ele seria tão decisivo assim.

O árbitro Wagner Reway amarelou. Foi um juiz borrão (você deve saber o termo que eu queria usar). Estava lá, tranquilo, achando que ia pra casa sem polêmica em um clássico regional e não quis se complicar ao não marcar um pênalti claríssimo em Eduardo Costa. Se fosse aos 25 minutos ele marcava fácil. Tipo do juiz que passou por um teste de pressão e acabou reprovado.

É aquela polêmica que marca e que vai servir de assunto para os torcedores nos próximos dias. O mundo dá voltas, as vezes o clube é beneficiado, como no gol sobre o Flamengo, as vezes prejudicado, como hoje. Infelizmente, depender da arbitragem nacional é algo bem complicado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário