sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Oliveira, de elogiado a criticado em um lance. JEC deixa escapar a vitória em Lages

Assessoria JEC
Oliveira, novo titular do gol do JEC, era o homem mais observado da partida em Lages. Pelo fato de substituir Ivan, e agora efetivado com a rescisão do antigo camisa 1, havia uma espécie de atenção especial em cima dele, que não pode ser chamada de pressão. Ele ia muito bem, atuando com segurança. Mas antes do apito final, um cruzamento alto fez ele se atrapalhar. Gol de Marcelinho Paraíba, e o jogo terminou empatado. Tipo da falha que vai fazer o goleiro ser lembrado pelo gol que tomou, e não pelos que evitou.

Algumas constatações: faltou ao time de Hemerson Maria controlar a posse de bola quando estava na frente no placar. Valorizar a posse de bola e gastar o tempo foram trocados por chutes a gol e devoluções de bola para o adversário, que foi para o desespero e conseguiu faturar um pontinho.

Hemerson de novo apostou na cautela e, em dado momento, tirou Fernando Viana para colocar mais um zagueiro. Em Lages ele inventou demais, andando na contramão do time que todo mundo sabia de cor e salteado na época da Série B, com suas variáveis e padrão bem definido. Vem aí a quinta rodada, e já passou da hora do time se acertar. A situação não é desesperadora, mas inspira atenção, mais pela má qualidade do futebol do que pela classificação em si.

Quarta tem jogo contra o Criciúma, outro time que não convence, mas que tem mais camisa. Se o técnico tricolor não inventar, já é um bom início.



quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Não teve zebra e começam as constatações

Sempre levo comigo que é necessário esperar pelo menos umas quatro rodadas para avaliar um time e ver onde ele pode chegar.

Assessoria Metropolitano
O Criciúma, por exemplo, não surpreende. É sabido que o time recheado de jogadores da base não iria fazer milagre. Mostra muita imaturidade e insegurança. Perdeu em casa para o Metropolitano com um gol bisonho causado pela sua defesa e com jogadores que parecem apavorados quando tem a posse de bola. Mas lá atrás já havia uma impressão de que o time não teria muitas chances de título. Uma ida ao hexagonal seria uma vitória. Agora já dá pra questionar. Mas nesse caso, e somente nesse caso, onde o desmanche foi enorme e proposital, o insucesso no catarinense era esperado. Melhor para o Metrô, que conquistou uma vitória importantíssima para tranquilizar o ambiente.

Eduardo Valente / Notícias do Dia
Já o Avaí é time de Série A, e começou a montagem de um time voltado para um campeonato de elite, onde receberá um grande incremento no orçamento. A impressão das primeiras quatro rodadas é que o time terá que fazer uma grande correção de rota e ir ao mercado qualificar o time. Contra a Chapecoense, Ananias entrou na área para marcar no meio de quatro marcadores avaianos que ficaram parados feito postes. Erros de passes apareceram aos montes no time de Geninho, que deveria admitir que não há desculpa pelos resultados. E se Marquinhos conseguir no STJD um efeito suspensivo para enfrentar o Metropolitano, ele não resolverá o problema. Faltam cinco jogos, e o Leão precisa vencer três e talvez precisar de mais um empate para se classificar. A conta é essa. Há uma coisa boa nisso tudo: a baixa qualidade do elenco apareceu antes do campeonato brasileiro. Dá tempo de arrumar.

Enquanto isso, a Chapecoense chegou aos 12 pontos jogando o mesmo de outras partidas e agora poderá focar-se no hexagonal. Vinicius Eutrópio poderá preservar jogadores importantes e fazer testes com jogadores que pedem espaço, como Richarlyson, que estreou hoje. Pega o Figueirense na próxima quarta, num jogo que promete ser interessante.


Figueirense precisa arrancar contra os grandes

* Coluna publicada no jornal Notícias do Dia de 12/02/14
Novamente com muitas dificuldades, o Figueirense passou pelo Guarani no campo encharcado do Renato Silveira e conquistou sua terceira vitória no Estadual. O time de Argel está em posição cômoda na tabela e não precisa entrar em desespero. Não foi fácil: o Bugre correu muito, conseguiu fechar os espaços e abriu o placar com o belo gol de Vitinho. Mas em duas falhas na recomposição da defesa o Figueira conseguiu a virada e teve muito trabalho para segurar o resultado.
A tabela reservou para o Figueira um sequência de quatro clubes do grupo dos pequenos no início do campeonato. A partir da semana que vem a situação é inversa: o time enfrenta, na ordem, Chapecoense, Criciúma, JEC e Avaí, adversários diretos pelo título, e o nível de exigência vai aumentar consideravelmente. É fácil notar que Argel tem muitas dificuldades em arrumar o sistema de armação do time e a marcação nas bolas paradas, algo que funcionava bem no ano passado e que mais uma vez falhou contra o Guarani.
Outro destaque do jogo foi a estreia de Alex no lugar de Luan Polli no gol alvinegro. Ele não decepcionou, fazendo boas defesas e ajudando a segurar a vitória em Palhoça. Resta saber agora se o clube confiará na dupla para o resto da temporada ou se irá ao mercado atrás de alguém mais experiente. Recém saído do Joinville, Ivan foi lembrado, mas acabou descartado por causa do seu conhecido forte temperamento.  Por enquanto, eles tem a chance de mostrar serviço.
Obrigação
O Avaí enfrenta a Chapecoense nesta noite com a obrigação da vitória, sob pena de ver os adversários abrindo distância na tabela e a pressão aumentar ainda mais. Como se não bastasse o problema do conjunto do time que não se encontra em campo, Geninho poderá perder Renan Oliveira e Tinga para a partida. Bem complicado imaginar um cenário otimista no jogo de hoje contra o melhor time do campeonato. É esperar para ver se com a volta de Marquinhos o time irá mostrar o rendimento esperado. O problema é que ele só volta na penúltima rodada, no clássico contra o Figueirense.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Ivan x JEC: a briga de namoro que virou divórcio

Sabe aquelas brigas de namoro com motivo fútil que acabam virando um problemão? Pois é, a "questão tática" levantada por Hemerson Maria acabou dando o que falar. E o goleiro Ivan acabou colocando ponto final em uma passagem de quase 200 jogos pelo tricolor, e dois títulos nacionais.

Os motivos são complicados de entender. O goleiro fez um longo depoimento em seu perfil da rede social tentando explicar o que aconteceu, sem muito sucesso.

A verdade: a relação estava desgastada, e a desobediência em Ibirama foi a gota d'água.

Ivan sai do Joinville com o reconhecimento do torcedor. É o único do grupo que conquistou os dois campeonatos brasileiros, o da Série C em 2011 e o da B no ano passado. Salvou o time em várias oportunidades e falhou poucas vezes. Chega uma hora que ambos precisam respirar outros ares. Essa hora chegou.

Por mais que a saída tenha sido turbulenta, há de se elogiar a passagem de Ivan, um nome que vai facilmente encontrar lugar no mercado. E o JEC vai poder escolher se apostará em Oliveira até o fim do ano ou irá atrás de outro nome.




domingo, 8 de fevereiro de 2015

Chapecoense 100%, pronta para o hexagonal

Fernando Ribeiro / Criciúma EC
O jogo na Arena Condá foi apenas uma confirmação. Sem ser muito exigido pelo adversário, o time de Vinícius Eutrópio venceu o Criciúma e se manteve na liderança do Estadual.

Não foi goleada mas o time mostrou volume de jogo e mostrou que está pronto para o hexagonal final, e ainda com gente para estrear. Não sei como o treinador imagina o seu time titular, mas ele conseguiu passar pelo primeiro estágio. É um time confiável, que vai conseguir a sua classificação sem problema nenhum e vai poder transformar as últimas rodadas da primeira fase numa espécie de pré-temporada.

O jogo em si mostrou um contraste. Enquanto a Chapecoense distribuía bem suas jogadas, o Criciúma tinha sérios problemas, muitos deles causados pela inexperiência. O jovem goleiro David falhou feio no primeiro gol verde, o que trouxe muita intranquilidade para a linha de zaga. Na jogada seguinte, Roger mandou uma bola na trave.

Falando em intranquilidade, foi Lucca, um dos mais experientes do time, que acabou expulso por reclamação em um lance de pênalti que eu não marcaria.

Pelo volume de jogo apresentado, a Chapecoense fez por merecer a vitória. O torcedor de Criciúma sabe que falta muita coisa para o Tigre alcançar a tal da confiabilidade. A preocupação maior é conseguir a classificação para o hexagonal.

Enquanto isso, seus principais adversários ainda patinam em busca de um padrão de jogo eficiente. Avaí, JEC e Figueirense sabem muito bem disso.