terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Catarinense 2016: Criciúma

CRICIÚMA ESPORTE CLUBE
Fundação: 13 de maio de 1947 (como Comerciário. O nome mudou em 17 de março de 1978)
Cores: Amarelo, Branco e Preto
Estádio: Heriberto Hulse - 20.000 lugares
Presidente: Jaime Dal Farra
Técnico: Roberto Cavalo
Ranking "BdR" 2015: 5o. Lugar
Catarinense 2015: 6o. Lugar

O torcedor do Tigre não teve nada para comemorar na última temporada. No Estadual, o time que iniciou o ano com Luizinho Vieira pouco fez, terminando o hexagonal final em sexto, com apenas uma vitória em dez jogos. Na Copa do Brasil, acabou eliminado em casa para o Grêmio. Já na Série B, o time chegou a fazer contas pra não cair. No fim acabou se segurando, depois de gastar um caminhão de dinheiro e não obter resultado algum. Quando o então presidente Antenor Angeloni anunciou a sua saída alegando cansaço, um grande clima de insegurança apareceu na cidade. Quem assumiria a bronca? Dias depois apareceu o candidato, com fôlego novo e vontade de trabalhar bastante. Jaime Dal Farra, proprietário de uma indústria de tintas não surge como um salvador, como Angeloni foi tratado na sua chegada. Mas é um empresário bem sucedido que herdou um clube muito bem estruturado para tentar ser forte na temporada.

Assim que chegou, Dal Farra anunciou o seu técnico, e com um plano ousado. Roberto Cavalo, ídolo da torcida como jogador, campeão da Copa do Brasil de 1991, chegou logo com um contrato de dois anos, algo meio unusual no futebol catarinense. Assumiu em outubro passado, ainda na Série B, com a missão de garantir uns pontinhos para escapar do rebaixamento e comandar a reestruturação de um elenco absurdamente inchado e que precisava ser ajustado para o ano seguinte.



E aí começou a reformulação, O time deste ano manteve nomes importantes, como o goleiro Luiz, que na minha opinião é o grande responsável pela campanha da Série B não ter se transformado em tragédia, e o bom volante Barreto. Das contratações, destaque para o zagueiro Diego Giaretta, que depois de circular por vários clubes de Santa Catarina terminou no Botafogo, além do dublê de meia e lateral Wellington Saci, destaque no estadual pelo JEC há dois anos. No momento, ele vem treinando no time reserva por opção do treinador.

O próprio presidente Dal Farra admite que a prioridade do Tigre é a Série B, dentro de um longo e necessário processo de reestruturação do clube e adaptação à realidade financeira. É um time que mescla experiência com juventude, e um treinador que trabalha muito a parte motivacional. Entrega não faltará ao Tigre para o Catarinense. Resta saber se o time terá a qualidade necessária para ir longe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário