quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Catarinense 2016: Internacional de Lages

ESPORTE CLUBE INTERNACIONAL
Fundação: 13 de junho de 1949
Cores: Vermelho e Branco
Estádio: Vidal Ramos Júnior (Municipal) - 12.000 lugares
Presidente: Cristopher Nunes
Técnico: Waguinho Dias
Ranking "BdR" 2015: 6o. lugar
Catarinense 2015: 4o. lugar


Empurrado por um Marcelinho Paraíba absurdamente inspirado, o Inter de Lages teve um 2015 inesquecível. Veio da segunda divisão e não só se classificou para a segunda fase como conquistou a ida à Série D e uma vaga inédita na Copa do Brasil, onde enfrentará o Sampaio Corrêa. Um trabalho bem feito que vem desde a época da divisão de acesso, onde o clube organizou toda uma campanha para vender a sua imagem e chamar a atenção não só do estado, como do país. Virou querido de todos e agora terá uma missão bem mais difícil, que é manter o ritmo com um time novo e sem o jogador que fez a diferença no último ano.

Em 2015, Mabília assumiu a tarefa sem ser muito conhecido no nosso futebol e saiu do clube com excelente conceito. Para esse ano, o desafio caiu nas mãos de Waguinho Dias, treinador de 52 anos que tem no Inter a sua primeira oportunidade para trabalhar no Estado. Conhecido do futebol paulista, Dias iniciou como técnico lá e peregrinou por vários clubes do interior. Antes de chegar a Lages, esteve no União Barbarense.  Na gerência do futebol, o colorado da princesa da serra conta com José Reis, que estava na Portuguesa e que tem passagem pelo Criciúma em 2011.


O time é bem diferente do ano passado. O goleiro Andrey, que chegou como um dos nomes mais experientes do elenco, acabou deixando o clube rumo ao futebol gaúcho. Mas existem outros nomes conhecidos no grupo, como o volante Fernando, irmão do meia do Figueirense Carlos Alberto, que já jogou no Flamengo, André Gava, ex-Criciúma, e Michel Schmoller, remanescente do ano passado e outro ex-Figueira. No ataque o Inter contra com Isac, que defendeu o Red Bull e o América de Natal no ano passado, e o conhecido Valdo Bacabal, que teve destaque no último estadual.

Assim como em 2015, o Inter chega sem alarde para tentar mostrar serviço. É necessário mencionar que, no ano passado, o time chegou longe em grande parte por causa de um jogador. Marcelinho Paraíba fazia tanta diferença que era notória a queda de rendimento quando ele não estava em campo. Nesse ano ele não está presente. É aguardar pra ver se o Leão Baio poderá surpreender de novo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário