segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

A primeira rodada

Assessoria Figueirense
A grande história da rodada do domingo foi protagonizada por Evandro Tiago Bender. Sou crítico da política de árbitros da FCF pelo simples fato deles se vangloriarem de ter em seu quadro uma penca de importados para abafar a má fama da turma daqui. E isso, e eu já ouvi de um árbitro local, desestimula muito. Parece que a pré-temporada na aprazível Treze Tílias nada serviu. O árbitro de Chapecó mostrou despreparo no Scarpelli ao dar o pênalti bisonho em Dybal para depois ignorar a entrada em Everton Santos. Não adianta geladeira. Chances foram dadas e ele mostrou que não tem condição.

O erro de marcação mudou o jogo, quando o Figueirense, ainda travado pelo começo da temporada, abriu o placar e teve muita dificuldade para segurar o Brusque, que foi melhor durante a partida. A partir do erro de arbitragem e a expulsão de Mauro Ovelha (eles não se entendem desde os tempos de Oeste), o Bruscão lutou e foi para o desespero. Derrota à parte, o time deixou uma boa impressão.

O Criciúma bateu o Avaí com um gol do zagueiro Diego Giaretta (olho nele, candidato à seleção do campeonato) e o Metropolitano venceu o Camboriú no jogo mais movimentado da rodada, em um confronto direto pela Série D. Metrô, aliás, que deve anunciar Leo Moura nessa semana.

Bola pra frente. Erros de arbitragem acontecem, e tomara que fique só pela primeira rodada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário