terça-feira, 22 de março de 2016

Seduzidos pelas gordas luvas da TV

O placar oficial em Santa Catarina da disputa pelos direitos em TV Fechada do Brasileirão está empatado. Hoje, o Avaí anunciou que fechou com a Globo/Sportv. Semana passada, o Joinville bateu o martelo com o Esporte Interativo. Segundo informou a Folha de São Paulo na edição do final de semana, a Chapecoense seguirá o caminho avaiano, enquanto Figueirense e Criciúma mudarão de lado e migrarão para o EI junto com o JEC.

Só clubes maiores e bem estruturados podem, se assim quiserem, esperar até 2018 para decidir com quem assinam apenas para a TV Fechada (Pay per view e TV Aberta são contratos diferentes). O resto pode até dar desculpas de audiência e exposição, mas a verdade é uma só: o dinheiro das luvas. Segundo informações, a grana oferecida pela Globo ao Avaí era melhor. Martelo batido e cheque na conta.

A estratégia do EI é de guerra. Resolveu procurar os clubes com muita antecedência, inclusive aqueles da Série B que não se sabe se estarão na elite em 2019. O objetivo é apostar para garantir espaço lá. E ainda há no caminho o desafio de mudar a Lei Pelé, que exige que os dois times de uma partida estejam "assinados com a mesma empresa" para ter o jogo exibido.

Li argumentos dos mais diferentes. Qualidade de imagem? Ambos são HD. Produção? Ambos usam as mesmas produtoras independentes para produção das partidas. Distribuição? Faltam algumas operadoras para todo mundo ter a mesma base.

Sigo muito o exemplo da FOX, quando conquistou os direitos da NFL. Havia medo de que o produto desvalorizasse com a venda do campeonato para a quarta emissora em audiência no país. Aconteceu o contrário.

Ainda que eu não concorde com o modo de venda dos direitos, quem negocia agora pode ter a solução dos seus problemas.

Poderiam ser feitos pacotes de jogos, horários diferentes, mais emissoras dentro, como é na Inglaterra e na NFL, onde três emissoras abertas hoje transmitem as partidas.

Mas essa foi a opção, com a sedução das gordas luvas. Quem está com a corda no pescoço está com os olhos brilhando.

Ah, só pra lembrar: o contrato de TV do Campeonato Catarinense, vence no ano que vem. A Associação de Clubes, que tem tradição de negociar mal o televisionamento do seu torneio, com direito a quebrar contrato em 2009 e permitir transmissão para a praça em 2013, tem a chance de, mais uma vez, tentar se valorizar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário