quarta-feira, 27 de abril de 2016

As questões que envolvem a decisão

* Publicado no jornal "Notícias do Dia" de 27/04/2016

Passada a última rodada, que não teve graça alguma, chegamos na semana que antecede a decisão do campeonato estadual. Vinte anos depois daquela final que foi para o folclore do futebol catarinense, com direito a foguetório, abandono e jogo final a dias do Natal, Joinville e Chapecoense entram numa condição de igualdade que seria algo surpreendente até 40 dias atrás. Hoje, devido ao crescimento de um e a queda de outro, virou algo impossível de prever. 

Aí vem as perguntas que vão pautar essa final. A primeira é: o que aconteceu com a Chapecoense? O time de Guto Ferreira era tão favorito que pavimentava o seu caminho para um título direto sem sobressaltos. Depois do empate em casa para o Brusque, onde ainda conseguiu reverter um 3 a 0 do adversário no primeiro tempo, nada foi como antes. O time perdeu o volume de jogo, Maranhão caiu em qualidade na sua condição de principal armador do time e, sem um plano B, as derrotas para Metropolitano e Joinville acenderam o alerta para algo que aterroriza o torcedor do Oeste, que não vê o time inspirado de tempos atrás. É indispensável que o conjunto verde volte a ser aquele do turno, sob pena de um inesperado fracasso aparecer.

Do lado do Joinville, muitos perguntam o que Hemerson Maria fez para conquistar invicto o título do returno. E ainda, querem saber o quão longe pode ir esse time, que construiu sua recuperação em cima de forte marcação e eficiência na saídas de bola, mesmo sem atacantes decisivos, como tem o seu rival. Esta será a grande graça dessa decisão, que promete: teremos o confronto de um elenco numeroso, mas que perdeu o seu rumo, contra bravos jogadores que chegam com a motivação lá em cima para conquistar um título que era considerado improvável.
A partida de ida terá importância extrema para o Joinville, que terá que reverter a vantagem dos dois resultados iguais da Chapecoense. Até lá, muito mistério e treinos fechados. No final de tudo, o futebol nos reservou uma decisão muito interessante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário