sexta-feira, 27 de maio de 2016

Empates e arbitragem

* Publicado no jornal "Notícias do Dia" de 26/05/2016
Ninguém gosta de ter que tocar de novo no assunto, mas a arbitragem acabou sendo decisiva para os catarinenses ontem à noite. O Figueirense tem toda razão em reclamar de dois pênaltis não marcados no segundo tempo do jogo contra o Santos. A Chapecoense, que vencia o Flamengo, foi prejudicada em um lance bisonho, penal inexistente, na cara do árbitro.
O Figueira achou um gol no final do jogo contra o Santos, mas é importante ressaltar que o time ficou a desejar e muito no seu conjunto. O adversário chegou a ter 67% da posse de bola no primeiro tempo. Conseguiu sair na frente com o gol de Rafael Moura e poderia ir para o intervalo na frente com a possibilidade de desenhar um outro cenário para a etapa final, mas um erro infantil de Ferrugem colocou tudo a perder. O Peixe voltou melhor para o segundo tempo, virou o jogo e deu a abertura para o Figueira depois da expulsão de Gustavo Henrique. Com um a mais em campo, faltou saber aproveitar a chance.
Ermel veio do banco para garantir um ponto com um belo gol e evitar prejuízo maior. O garoto não vai salvar sempre, mas não pode ficar de fora do time titular, até pela fase que vive. É bom considerar que o time de Vinícius Eutrópio já perdeu quatro pontos dentro do Scarpelli, desobedecendo aquela cartilha de quem não quer ter sofrimento lá na reta final. O "time em formação" batizado pelo treinador vai ter que buscar pontos fora para cobrir o prejuízo. E é bom que comece a reagir o quanto antes.
Enquanto isso, a Chapecoense foi valente em Volta Redonda e só não venceu graças a um pênalti inexistente nos acréscimos. Sem se retrair e buscando o jogo contra o Flamengo, o time de Guto Ferreira fez um jogo equilibrado e cresceu demais após a expulsão de Everton. Passou a frente num golaço de Hyoran e teve pelo menos duas chances claras de matar a partida em contra-ataques. Acabou prejudicado pelo árbitro (de novo, contra o Inter aconteceu a mesma coisa). Mas a impressão é boa. Assim como em 2015, o Verdão do Oeste vai mostrando suas garras nas rodadas iniciais, sabendo o que faz em campo.
Mas não dá pra aceitar o que a arbitragem fez. Não eram lances difíceis. Acabaram interferindo e muito nas partidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário