segunda-feira, 11 de julho de 2016

O curioso caso da demissão de Eutropio e a chegada de Argel

O mais curioso no fato que envolve a demissão de Vinicius Eutrópio no Figueira é que o time não foi tão mal assim contra o Grêmio em Porto Alegre. Perdeu para um time do G4 nos acréscimos. Vendeu caro a derrota.

O que determinou a demissão também aconteceu em Porto Alegre, quando o Inter demitiu Argel após a derrota para o Santa Cruz. Simples e fácil de entender. Depois de sondar Antonio Carlos Zago, fato confirmado pelo próprio e já há um bom tempo atrás, o Figueira só queria um nome para não deixar o time com interino por muito tempo.

O presidente Wilfredo Brillinger quer e Argel não ficará muito tempo desempregado. A vida segue, e o time precisa escapar do rebaixamento.

A gente não viu de tudo ainda no futebol. Aqui tivemos um caso de técnico que foi demitido não por causa de uma derrota. Mas sim porque outro nome ficou desempregado, dando a abertura pra a troca. Como diria uma professora que me deu aulas de química, não haveria demissão ontem, em condições normais de temperatura e pressão.




Nenhum comentário:

Postar um comentário