sábado, 12 de novembro de 2016

A trágica semana do JEC. Rebaixamento é iminente

Jornal O Popular
A semana mais tensa dos últimos tempos em Joinville (se não foi a pior em 40 anos de história) terminou hoje com a pior das notícias: o Oeste de Itápolis, sem vencer há 15 partidas, arrancou um empate aos 52 do segundo tempo em Pelotas, abrindo quatro pontos de distância para o tricolor e praticamente selando sua permanência na Série B.

Pra quem empatou com o Bragantino perdendo dois pênaltis e perdeu para o Goiás após estar vencendo por 2 a 0, isso é castigo divino.

O torcedor joinvilense sofre, mas tem na cabeça que, se o time cair, vai ser merecido. O campeonato abriu várias portas, deu inúmeras chances escancaradas para o time sair dessa, mas o JEC não aproveitou, esbanjando incompetência.

Não há desculpa pelo resultado em Goiânia. O time vinha se comportando bem até a expulsão imbecil de Reginaldo. Depois disso, apareceu outro problema sério, que está fora do campo. Não tenho nada contra a pessoa de Ramon Menezes, que foi um brilhante jogador. Mas o clube errou feio em trazer um técnico sem culhão para um momento tão crítico. Deu no que deu. Ele se encolheu, botou o time para se retrancar e não conseguiu equilibrar quando o Goiás também ficou com 10. Futebol é coisa séria, e briga contra rebaixamento não é coisa pra estagiário.

Agora, só milagre.  Vencer Oeste e Vila Nova, e contar com uma derrota do time paulista em Recife na última rodada.

Se cair, e tudo indica isso, vai ser merecido. Problemas na organização, montagem de elenco... A vergonha de cair da A para a C vai ser grande.

E que ninguém diga que "a Série C não é o fim do mundo". Pra quem cai, é sim. Sem exposição, sem TV, cotas quase inexistentes, classificação por mata-mata.... É horrível.


Nenhum comentário:

Postar um comentário