domingo, 18 de dezembro de 2016

O Ranking "BdR" do Futebol Catarinense em 2016

Com o ano terminando, o Blog traz dois dos seus tradicionais posts: além dos micos do ano, que serão divulgados na próxima semana, é a vez do nosso ranking.

O Blog do Rodrigo apresenta o seu ranking de clubes pelo oitavo ano consecutivo. O Ranking "Blog do Rodrigo do Futebol Catarinense 2016" traz, com base nos resultados de cada clube na temporada, a classificação dos melhores do Estado.

Tem uma diferença básica para o ranking da CBF, que conta apenas competições nacionais, enquanto este também conta o Estadual e eventuais participações em competições internacionais. Este exercício serve para ver o andamento dos clubes dentro do cenário doméstico, somando suas atuações a nível nacional e internacional com o torneio do primeiro semestre.

Também mostra todos os times que estão em atividade em Santa Catarina ou estiveram até 2014 em qualquer divisão. Quem não passou pelo Blog antes, o ranqueamento do ano passado está aqui, e os critérios de cálculo estão no fim do post. Cálculos feitos, vamos à classificação. Algumas explicações vão junto, e em parênteses vão a pontuação e a colocação no ano anterior. Existem mudanças na classificação dos cinco grandes e a consolidação do Inter de Lages como sexta força do Estado. A Chapecoense, pelo título estadual e as campanhas na Série A e Sul-americana abre espaço na frente.

RANKING "BLOG DO RODRIGO" DO FUTEBOL CATARINENSE 2016

1) Chapecoense: 49,40 pontos (2015: 1o. com 46,59): Aqui, os números e resultados falam por si. Título estadual com a melhor campanha, bem a frente do segundo colocado. Boa pontuação na Série A bem a frente do Figueirense, sem contar a terceira fase na Copa do Brasil e a brilhante caminhada que culminou com o título sul-americano. Subiu quase três pontos no ranking e dificilmente perderá a liderança no próximo ano, já que o Figueira jogará a Série B, com pontos de menor peso e a diferença de sete pontos na média é praticamente inalcançável.


2) Figueirense: 42,80 pontos (2015: 2o. com 45,16): A fraca campanha no estadual e na Série A fez o Figueira sustentar o segundo lugar no ranking, mas perdendo quase três pontos em sua média. Foram 15 pontos a menos que a Chape no campeonato estadual, e outros 15 no Brasileirão, somando com uma eliminação na primeira fase da sul-americana. O alvinegro vê o Avaí se aproximar, sendo que o rival jogará uma Série A com peso maior. O estadual pode decidir a posição no próximo ranqueamento

3) Avaí : 39,20 pontos (2015: 3o. com 38,26): A campanha do acesso rendeu boa pontuação ao Leão, que subiu quase um ponto na sua média anual. O problema foram as campanhas ruins no Estadual (apenas 20 pontos em 18 jogos) e na Copa do Brasil (4PG em 4J). Mesmo assim, a diferença para o segundo lugar Figueirense caiu de sete para apenas três pontos. Se não decepcionar no campeonato catarinense e ter uma pontuação para permanecer na Série A, assumirá a segunda colocação em 2017 sem sustos.


4) Criciúma: 36,93 pontos (2015: 5o. com 36,07): Temos aqui a primeira troca de posições. O Criciúma teve um aumento de alguns décimos em sua média anual, e ultrapassa o Joinville pela grande diferença das campanhas na Série B deste ano (56 pontos contra 40), sendo que ambos tiveram a mesma campanha no Estadual, com 32 pontos conquistados. A tendência é que o Tigre mantenha a quarta colocação na próxima temporada, pela distância que tem para os times da frente e pelo fato do Joinville disputar uma Série C, onde os pontos tem um peso menor. Bastará não cair.

5) Joinville: 34,04 pontos (2015: 4o. com 38,11): Mesmo com o vice-campeonato catarinense, o JEC perde mais de quatro pontos na sua média anual para fechar o grupo dos chamados grandes. Foram 32 pontos conquistados no Estadual, segunda melhor do torneio. Mas a péssima campanha da Copa do Brasil (apenas quatro pontos em quatro jogos, eliminado na segunda fase com duas derrotas) e os 40 pontos que culminaram com o rebaixamento para a Série C sacramentaram esta queda. E tudo indica que aqui permanecerá na próxima temporada.


6) Internacional de Lages: 26,67 pontos (2015: 6o. com 24,25): O colorado lageano consolida-se como a sexta força do estado com uma temporada bem interessante no âmbito nacional. Se o ranking passado mostrava uma diferença apertada entre Leão Baio, Metropolitano e Brusque, agora já aparece uma folga. O time conquistou três pontos na Copa do Brasil, mais uma classificação inédita para a terceira fase da Série D, marcando 17 pontos no total. Aumentou em mais de dois pontos a sua média.



7) Brusque: 24,84 pontos 
(2015: 8o. com 24,17): O Brusque ganhou alguns décimos em sua média anual, ultrapassando o Metropolitano pelo melhor desempenho na temporada. No Estadual, o time de Mauro Ovelha conquistou o quinto lugar e a vaga na Copa do Brasil com 24 pontos ganhos, dois a mais que o rival de Blumenau. A diferença mesmo veio na Série D, onde o Bruscão conquistou uma inédita vaga para a segunda fase, com dez pontos conquistados em oito partidas.



8) Metropolitano:  23,51 pontos (2015: 7o. com 24,21): Pelo terceiro ano seguido, o Metropolitano diminui a sua média anual e agora aparece em oitavo na lista. A campanha no Estadual até foi razoável, mas a Série D estragou tudo. Com um time barato, o Metrô foi o lanterna da sua chave no Brasileirão com apenas quatro pontos conquistados. Como seus rivais Inter e Brusque foram mais eficientes no segundo semestre, conseguindo passagem para o mata-mata, o Metrô fica na oitava colocação.


9) Atlético Tubarão: 22,24 pontos (2015: 9o. com 21,82): 
O Atlético Tubarão, depois de bater na trave na segundona com boas campanhas, finalmente conquistou sua vaga na elite conquistando 44 pontos em 20 jogos, perdendo a decisão no critério de desempate para o Almirante Barroso. Mesmo com peso menor, os excelentes retrospectos na segundona lhe garantem um lugar no Top 10 do nosso ranking. E se fizer bom estadual (mesmo sem vaga na Série D), até pode beliscar uma posição acima.

10) Guarani de Palhoça: 19,85 pontos (2015: 10o. com 21,29): Premiado com uma vaga na primeira divisão depois da desistência do Atlético de Ibirama, o Bugre voltou a fazer má campanha e acabou rebaixado mais uma vez, com apenas 17 pontos conquistados. Perdeu quase dois pontos em sua média anual mas se segura no Top 10, já que o Camboriú também se deu mal no catarinense e o Atlético de Ibirama está fora dos campos.


11) Concórdia: 19,84 pontos (2015: 13o. com 17,80): Novidade interessante deste ano é a subida do Concórdia, terceira melhor campanha da Série B Estadual, com 33 pontos conquistados. O time treinado por Celso Rodrigues não conseguiu o acesso com alguns tropeços para times piores, mas fez um bom trabalho. Sobe duas posições e aumenta em mais de dois pontos a sua média.


12) Camboriú: 19,71 pontos (2015: 11o. com 21,16): Após subir três posições em 2015, o Cambura agora perde um posto. Conseguiu o acesso mas não se manteve na elite, conquistando apenas e tão somente 15 pontos em 18 partidas. Isso derrubou a sua média anual e o permitiu ficar atrás de dois times da Série B do Estadual.


A seguir, o restante da classificação:

13) Juventus / Jaraguá do Sul: 17,73 pontos (2015: 15o. com 16,29)

14) Almirante Barroso / Litoral : 17,47 pontos (2015: 22o. com 8,70)
empatado com  Hercílio Luz: 17,47 pontos (2015: 19o. com 14,18)
16) Barra: 16,87 pontos (2015: 17o. com 15,32)
17) Fluminense / Joinville 14,16 pontos (2015: 22o. com 9,73)
18) Marcílio Dias: 13,69 pontos (2015: 14o. com 16,54)
19) Operário de Mafra: 12,09 pontos (2015: 25o. com 6,32)
20) Jaraguá: 9,93 pontos (2015: 18o. com 14,62)
21) Juventus / Seara: 9,67 pontos (2015: 16o. com 15,87)
22) Atlético de Ibirama: 9,18 pontos (2015: 12o. com 19,29)
23) Atlético Itajaí: 8,80 pontos (2015: NR)
24) Porto: 6,88 pontos (2015: 20o. com 9,95)
25) Curitibanos: 5,38 pontos (2015: 24o. com 7,58)
26) Imbituba: 4,44 pontos (2015: NR)
27) Maga: 4,42 pontos (2015: 31o. com 1,84)

28) Santa Catarina: 4,10 pontos (2015: 26o. com 5,85 pontos)
29) Blumenau: 2,57 pontos (2015: 23o. com 8,28)
30) Canoinhas: 1,52 ponto (2015: 28o. com 5,30)
31) Caçador / Caçadorense: 1,40 ponto (2015: 27o. com 5,79)


Deixam o Ranking: Pinheiros e Oeste de Chapecó

* Para efeitos de ranking, Litoral e Almirante Barroso (houve troca de nome fantasia) são considerados o mesmo clube. 



Os critérios para definição do ranking, assim como no ano passado, são os seguintes:

Serão considerados os resultados dos clubes nas últimas TRÊS temporadas (2014, 2015 e 2016). Os pontos conquistados por cada equipe serão considerados, e não os títulos.

O cálculo para se chegar aos pontos ganhos em cada jogo é feito da seguinte forma:

Para jogos de campeonatos estaduais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 1 x (valor do campeonato)

Campeonato Catarinense Divisão Principal (Série A)- 10
Campeonato Catarinense Divisão Especial (Série B)- 6
Campeonato Catarinense Divisão de Acesso (Série C)- 4
Copa Santa Catarina (e no caso do Estadual 2014, o Hexagonal da Morte) - 8

Para jogos de campeonatos nacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 2 x (valor do campeonato)

Campeonato Brasileiro Série A - 10
Campeonato Brasileiro Série B - 7
Campeonato Brasileiro Série C - 6
Campeonato Brasileiro Série D - 4
Copa do Brasil - 8
Recopa Sul-Brasileira - 5

Para jogos de campeonatos internacionais, pega-se os pontos ganhos no jogo (1 ou 3) x 3 x (valor do campeonato)
Mundial de Clubes - 10
Taça Libertadores - 8
Copa Sul-Americana - 7
Recopa Sul-Americana - 5

(importante notar: Catarinense tem peso 1, Brasileiro 2 e Internacionais 3)

Para a pontuação geral, soma-se os pontos de todos os jogos nos últimos 36 meses (2014 + 2015 + 2016) e se divide pelo número de jogos disputados a cada ano, aplicando-se a desvalorização do ano anterior. Os pontos serão a soma das médias dos três anos.

O Ranking também usará o critério FIFA de desvalorização. Ou seja: os pontos conquistados na penúltima temporada serão multiplicados por 0,7. Traduzindo: os resultados de 2016 levam peso 1, os de 2015, vale 70%, e os de 2014 valem metade de 2015.

Obs.: 1) No caso de empate entre dois ou mais clubes, a ordem apresentada no Ranking é meramente alfabética, não sendo levados em conta os campeonatos disputados pelas agremiações.

2) Para efeito de "punição estatística" e equiparação aos clubes que disputaram mais de um torneio no ano, clubes da primeira divisão que só jogaram o Estadual, sem disputar outra competição, seja nacional ou a Copa Santa Catarina, terá computado zero ponto em uma partida na segunda competição.

Nenhum comentário:

Postar um comentário