segunda-feira, 4 de abril de 2016

Joinville vence apertado para liderar. Vitória do Brusque coloca Avaí na efetiva luta contra o rebaixamento

O Joinville conseguiu fazer um gol no Camboriú para liderar o returno e seguir firme na luta para evitar o título da Chapecoense.

Uma partida que não mostrou novidades para o setor mais crítico do JEC: o ataque. O mais interessante, e isso é bom, é que tanto o torcedor como a comissão técnica não se ilude com os resultados e sabe que o elenco é limitado. Mas é assim que o time vai se comportando e tem uma porta aberta para entrar e tentar quebrar o favoritismo da Chape. Terá um jogo contra o Inter na semana que vem em casa para ir à Chapecó no que deve ser a decisão do returno. Como não devem chegar jogadores essa semana e, logo, sem novidades pro ataque, Hemerson Maria precisa se agarrar no que tem para tentar surpreender.

No Augusto Bauer, o Brusque respira tranquilo com 22 pontos, vaga praticamente assegurada na Série D e bem longe da briga pelo rebaixamento. Quem entrou com tudo nesse confusão foi o Avaí. Na partida, só deu time do Mauro Ovelha. Fez o gol logo no começo, poderia ter ampliado, e controlou o meio campo que faltava muito em marcação do adversário. Do lado de fora, o estreante Silas mais observava do que mexia no time, percebendo o tamanho do problema que terá que administrar. Para resolver, parece até simples: trazer um time novo, que esse aí não tem jeito, salvo raras exceções. O problema é que o time precisará vencer para não cair pela segunda vez em sua história. Vai ter que buscar energia no clássico, onde não é favorito, e ainda torcer para que os adversários não pontuem. A situação é crítica.

Já o vencedor Brusque correrá agora atrás do bônus, que é a vaga na Copa do Brasil.


domingo, 3 de abril de 2016

Duas opções: campeão sem final ou Chape x JEC na decisão

Se Criciúma e Figueirense mantinham alguma possibilidade de chegar à final do Estadual, ela se foi com os resultados desse final de semana. Primeiro foi o Tigre, numa atuação abaixo da média, que acabou perdendo para o frágil lanterna Guarani. 

E agora foi o Figueirense, que mesmo prejudicado por Célio Amorim em um gol irregular da Chapecoense, não soube aproveitar a vantagem numérica em campo. Agora, o time que vinha evoluindo lentamente terá bastante tempo para se concentrar no campeonato brasileiro.

Foi um jogo no Scarpelli em que a Chape fez um primeiro tempo muito discreto, dando chance para o Figueirense, melhor no jogo, controlar as ações. Mas depois de toda a confusão que foi o gol de empate do time de Guto Ferreira, o Verdão soube segurar a partida para se manter invicto e tirar mais um da parada.

A situação agora é simples: ou a Chapecoense é campeã sem uma decisão ou o Joinville capitaliza as três partidas que tem em casa e ir para Chapecó para segurar a liderança para sagrar-se campeão do returno e ir para a final contra o mesmo adversário que há 20 anos provocou uma polêmica enorme com direito a WO na decisão e jogo remarcado para a semana do Natal, na famosa decisão do foguetório.

Pressão agora está com o JEC, que não pode pensar em perder ponto nos jogos na Arena contra Camboriú, Inter e Brusque, para ter uma chance de estragar o título antecipado.