sábado, 18 de junho de 2016

A falta que faz uma reação

Avaí e Joinville fizeram ontem dois jogos onde se viu mais do mesmo: na Arena, o JEC voltou a mostrar a falta total de inspiração contra o Ceará. Até conseguiu sair na frente, mas não teve a competência para segurar o resultado. Já em Goiânia, o Avaí jogou um futebol sem graça e perdeu para o Goiás, que vive uma situação tão ruim quanto o adversário.

Não tem como esperar algo a mais dos dois. O tempo passa, já estamos na metade do primeiro turno e não há reação, diferente do Criciúma, que mesmo tropeçando fora de casa, vai mantendo sua regularidade e está na parte de cima da tabela. A não ser que uma arrancada fantástica aconteça, o campeonato vai ser assim até o final para Leão e JEC. A missão será somar pontos para não cair.

A situação avaiana é um pouco pior, até porque o time nem está buscando reforços mais fortes no mercado. São quatro derrotas seguidas, desculpas que não convencem e a aproximação da zona de rebaixamento. Não é sempre que o goleiro Renan vai segurar a barrar lá atrás. Pior é que não se vê movimentação, até por que o lateral Capa não é alguém que venha para resolver. O Joinville pelo menos está contratando a rodo. Se vai resolver, é outra história.

Os dirigentes precisam ser cobrados pelos erros crassos de planejamento. Dos dois clubes.


segunda-feira, 13 de junho de 2016

Chega de Dunga né!!

A Seleção Brasileira, ou a seleção do Dunga, não teve competência para fazer gol no Equador e no desfalcado Peru, que faz péssima campanha nas eliminatórias.

Reclama de gol de mão. Foi mesmo, não há duvida. Mas esse time aí não deveria ter jogado mais e feito um, dois ou até três gols?

Se antes não havia clima, agora mesmo que não tem mais como segurar. Mantê-lo na Olimpíada significa manter o clima péssimo. Rogério Micale, que tocou o trabalho e bem, merece treinar o time. A CBF vai ter tempo até o próximo jogo das eliminatórias, onde o time está com a moral lá embaixo e carregando a raiva do torcedor.

Chega de Dunga. Acabou, já era.