sábado, 25 de março de 2017

Arbitragem prejudica o Barroso e interfere diretamente na luta contra o descenso. Até quando?

AI / Figueirense FC
Hoje, o trio de arbitragem de Almirante Barroso x Figueirense interferiu diretamente no resultado do jogo e, por consequência, na dura briga contra o rebaixamento no Estadual.

André Luiz Back, que já havia sido suspenso pela FCF em 2012 por dar dois cartões amarelos a um jogador do Avaí sem expulsá-lo, errou feio ao marcar um pênalti inexistente contra o Almirante Barroso, que já havia sido duplamente prejudicado em impedimentos igualmente inexistentes marcados pelo assistente Maycon Machado.

O jogo não foi bom, mas o Barroso foi melhor. Criou as melhores chances de gol, se aproveitou da estratégia suicida do Figueira, que seguidamente é repetida, de marcar em linha, para ficar na cara do gol. Em duas oportunidades, o assistente não permitiu. O Figueirense foi mais do mesmo. Sem criatividade no meio-campo, nenhum fato novo criado e treinado pelo técnico, que insiste em um apagado Bill no comando de ataque, permitiu que o time de Itajaí comandasse o jogo dentro da sua casa.

O final, nós sabemos. A vitória joga o Figueira para 16 pontos na classificação geral e com um grande alívio diante da ameaça do rebaixamento. Já o Barroso, que poderia encostar no Tubarão para sair do Z2, fica na lanterna e até pode ver a diferença para o oitavo lugar subir para seis pontos. Vejam o estrago que a arbitragem fez.

Eu não acredito em má intenção, e sim em falta de preparo. A Associação de Clubes fala em uma comissão para monitorar a arbitragem, e eu concordo com a ideia. É necessário observar e catalogar esses erros que muitas vezes vão para a gaveta e nunca mais são mencionados, tirando quem escala da zona de conforto. Se não dá pra profissionalizar a profissão, pelo menos a gestão do campeonato dá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário