quarta-feira, 5 de abril de 2017

A histórica festa e a grande vitória da Chape

Conmebol
Chapecó viveu mais um dia que será registrado na história. A cidade se preparou, recebeu como nunca se viu o seu adversário, fez uma linda festa que marcou mais um capítulo do renascimento do Verdão pós-tragédia. Não só eu, mas muitos que lerem esse texto queriam estar lá nesse acontecimento especial do nosso futebol, onde se viu até a banda da Polícia Militar tirar a farda após a execução dos hinos e literalmente ir para a galera, animar a torcida com a bola rolando. Algo épico.

Mas, afinal, a Recopa é futebol, e tivemos o encontro de dois times campeões. Para a Chapecoense, que vinha de cinco vitórias seguidas no Estadual, era uma grande oportunidade de demonstrar a evolução do time, algo que é fácil de notar semana após semana e que indica que ainda poderá crescer. O Nacional, mesmo desfalcado, é um bom time, com excelente retrospecto no ano, comandado por um técnico competentíssimo.

A partida teve um início de estudos, típico de uma abertura de mata-mata, quando ninguém quer se expor muito. Aos poucos, a Chapecoense foi se soltando, e abriu o placar com o pênalti cobrado por Reinaldo, o melhor jogador em campo. Até dava pra ampliar antes do intervalo. No segundo tempo, o ótimo Torres empatou a partida. Mancni resolveu mudar o time e partiu para a velocidade com a entrada de Wellington Paulista e ainda com a força da bola aérea. Deu certo.

Apodi e Rossi faziam correr na direita. João Pedro encaixou muito bem na meia. Wellington fazia a zaga correr na área. Veio o gol de Luiz Otávio (que para mim merece ser titular do time). Deu certo, veio a vitória e a vantagem do empate para o jogo de volta.

Falei lá em cima em evolução. O jogo de volta acontece daqui a mais de um mês, após a final do Estadual. É de se imaginar que o time montado há quatro meses apresente uma melhora. A receita para levar o título parece ser a velocidade, onde um contra-ataque pode resolver a parada. Penso que é esse o caminho que Mancini deve seguir.

E no meio das comemorações, o time da Chape colaborou com o espetáculo. Muitos estão boquiabertos com o que foi feito em pouco tempo. O caminho correto está sendo seguido.


Um comentário:

  1. carnaval em cima da desgraça de centenas de familias como bem disse o filho do Caio Jr. Imprensa embarcou na onde, só falta agradecer a Lamia.

    ResponderExcluir