terça-feira, 8 de agosto de 2017

08/08 - Terceirização aprovada

Com apenas dois votos contrários, foi aprovada a terceirização total do futebol do Figueirense pelo prazo de 20 anos, com mudanças consideráveis diante do acordo inicial proposto pelos investidores (ainda misteriosos) que apareceram com a salvação do Figueirense.

Vamos analisar alguns pontos: primeiro, o clube está quebrado. O presidente Wilfredo Brillinger, ainda que use de 200 argumentos, não deu conta do rojão. Não teve sucesso para conseguir fazer o clube se pagar e, vendo a conta aumentar, correu atrás de socorro. Não gostei, num primeiro momento, da forma com que o processo de terceirização (não usarei mais o termo parceria, já que os investidores comandarão totalmente o futebol alvinegro) foi tocado. Mas, em alguns dias, com a aprovação inclusive de conselheiros considerados críticos a Brillinger, a proposta foi aprovada, com a criação de dispositivos que permitem uma fiscalização dos atos da empresa.

Quem são os investidores? Qual o aporte? Que metas tem? Isso o tempo responderá. Não conseguirão ficar invisíveis por muito tempo. O primeiro desafio é fazer o time funcionar e escapar da zona de rebaixamento. Milton Cruz, o técnico que chega, é um nome interessante, apesar de não ter conseguido muita coisa no Náutico. O que interessa são atletas para fazer o time crescer. Também saberemos disso nos próximos dias.

O torcedor do Figueira foi dormir esperançoso com a possível chegada de boas notícias. É muita novidade para uma noite, uma das mais importantes da história do clube. Vai dar certo? O tempo dirá. Bom lembrar que o representante do grupo prometeu até ir para a Libertadores. Primeiro, é bom evitar a queda para a Série C.

A FORÇA DO RÁDIO

A agilidade do rádio prestou um serviço enorme para o torcedor do Figueirense e todos que queriam acompanhar o que se passava na reunião do Conselho Deliberativo que tratou da aprovação da terceirização. As rádios Guarujá e CBN estavam em cima do que aconteceu. Merecem os parabéns.

BONITA FESTA EM BARCELONA. O RESULTADO É O DE MENOS

Vimos cenas que dificilmente esqueceremos. Talvez eu e você não estaremos mais aqui quando, num dia, um time catarinense entrará em campo no velho continente para enfrentar um gigante como o Barcelona, que fez um evento sensacional para receber a Chapecoense. Os 5 a 0 foram o de menos, até porque o time entrou nervoso e até certa forma desfigurado. Como bem disse o Badá no seu facebook, ontem foi dia para se acompanhar. Os (muitos) problemas do time, deixa pra pensar a partir de hoje.

A HISTÓRIA DE NENÉM

A emoção do jogo no Camp Nou girou em torno do encontro de um gigante contra um time que busca renascer depois da tragédia. Mas dentro do jogo, um jogador representa o crescimento de um clube que saiu do "sem série" para um título continental: Neném, de anos de serviços prestados ao clube, estava lá, como titular. Merece ser destacado.





Nenhum comentário:

Postar um comentário