sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Quem é quem nas semifinais da segundona

A primeira fase passou, e agora serão quatro decisões. Nas duas próximas semanas, serão definidos os dois times que subirão para a Série A do catarinense em 2018. Os confrontos são muito equilibrados por um simples motivo: por causa do regulamento, os atuais melhores times do campeonato vão se enfrentar, enquanto que os mais frágeis estão no outro confronto. Se houvesse outra disposição, o Concórdia e o Marcílio Dias seriam favoritos bem consideráveis. Mas eles vão se matar por uma vaga.

Começando pelo confronto mais forte. Concórdia e Marcílio se enfrentarão depois de um ótimo returno dos dois times (ambos terminaram invictos, com o Marinheiro empatando mais). Ambos tiveram trocas de treinador que mudaram o desempenho da água para o vinho. O Galo do Oeste, que teve um início fraquíssimo, resolveu dar uma tacada alta: de uma vez só, contratou o experientíssimo técnico Mauro Ovelha e jogadores-chave que fazem a diferença, como o goleiro Zé Carlos e o atacante Wilson Junior. O time arrancou, engatou sete vitórias seguidas e conquistou o returno com uma rodada de antecedência, consolidando a boa fase do novo CAC.

Do outro lado, um Marcílio que também patinou no início, e está no seu terceiro treinador no campeonato. Renê Marques chegou bem recomendado pela campanha com o limitado Almirante Barroso na Série A deste ano (onde poderia não ter sido rebaixado por causa de um certo erro de arbitragem em Florianópolis....) e mostrou seu bom trabalho no Marcílio que, ao contrário do seu rival, tinha um investimento bem menor para reforços. Com o que tem nas mãos, ele conseguiu a classificação com tranquilidade. Agora vem um confronto bem complicado. Ambos os times estão bem acertados, e o Marcílio terá a obrigação de tomar a iniciativa para reverter a vantagem de dois resultados iguais do CAC. Teremos um confronto de irmãos zagueiros: Rogélio, do Marcílio, enfrentará Neguete, do Concórdia.

No outro confronto que vale acesso, dois times que escorregaram no segundo turno sem mostrar grande futebol. O Hercílio Luz, campeão do primeiro turno, não conseguiu repetir o bom desempenho. Dentro de um planejamento, fez tudo errado: trocou de técnico, demitindo Agnaldo Liz para trazer Paulo Sales, nome sem experiência no Sul, e na hora de retomar o foco para a reta final, resolveu poupar titulares (tomou 4 do Marcílio Dias). Por sorte da tabela, o seu confronto será contra outro time que teve problemas, classificando-se na última rodada graças ao tropeço do Guarani, time que vinha mostrando ser bem mais perigoso.

Muitos davam o Camboriú eliminado (eu estou na lista) quando o time perdeu para o Barra e empatou em casa com o Fluminense do Itaum na penúltima rodada. Por sorte, o Guarani não conseguiu vencer o Marcílio Dias em casa e deixou a disputa pela última vaga para a rodada final. O Cambura fez sua tarefa batendo o morto Jaraguá e dependeu da vitória do Barra sobre o time de Palhoça para classificar. Deu certo. Para o time verde e laranja, o confronto lhe caiu bem, já que ambos os times não vão bem nessa reta final de campeonato e o retrospecto lhe é favorável (foram duas vitórias camboriuenses na fase de classificação). Isso é suficiente para que o confronto seja absolutamente imprevisível.

Nenhum comentário:

Postar um comentário