sexta-feira, 21 de julho de 2017

22/07 - Figueirense 2017 = Joinville 2016?

ATROPELADO

O América-MG não tomou conhecimento do Figueirense e implantou uma vitória sonora e tranquila no Estádio Independência. O primeiro tempo alvinegro foi patético, com erros seguidos, uma confusão só (que é histórica) no setor defensivo e uma vitória do time da casa consolidada em 45 minutos. O fantasma do rebaixamento, cada vez mais presente, traz a lembrança do que aconteceu no ano passado com o Joinville, que seguiu roteiro bem parecido no ano passado (menos no Estadual, onde ficou com o vice-campeonato, despencando no Brasileiro): O Figueira está no segundo técnico, não para de trazer jogadores, e se uma reação não vier, vai aparecer outro técnico para tentar o milagre. Ainda que haja tempo mais do que suficiente pra sair dessa, a verdade é que o time não apresenta sinal claro de melhora com o passar do tempo. Um rebaixamento para a terceira divisão seria algo muito extremo, mas não seria injusto diante de uma temporada patética até agora.


SEM DESCULPAS

Não há o que Marcelo Cabo falar depois de mais uma derrota. Ele chegou recomendado ao clube pelo fato de ser o atual campeão da Série B e um bom histórico. Mas esse relacionamento com o Figueira não está dando liga. O momento é de falar pouco e trabalhar mais. Como ele mesmo disse em BH, a presença do torcedor no estádio depende de resultados.


HOJE É O TIGRE

O Criciúma tem um jogo delicado contra o ABC em casa. Sim, delicado, mesmo com o time potiguar caindo pelas tabelas, com uma série de derrotas e a saída de Geninho. É um time franco-atirador, com novo comando, que vai se jogar atrás do crime. O Tigre precisa ter cabeça para passar por essa. Precisa vencer e convencer, para chegar mais perto da turma de cima.


POR QUE NÃO?

Muitos me perguntam o porquê do Campeonato Catarinense da Série B não ter exibição na TV, como no ano passado. Apurei que o problema está com o Sindicato dos Atletas, que estaria exigindo o pagamento de direitos de Arena para aceitar as transmissões. Acontece que o acordo televisivo entre o grupo RIC e a FCF não previa nenhum tipo de remuneração, com os direitos cedidos pelos clubes em troca da exposição. Sem uma definição quanto a isso, nada de transmissões. A Record News confirmou que vai transmitir mais uma temporada do Estadual de Basquete, que por sua vez, não encontrou problemas com os direitos.


DE NOVO

A FCF cancelou o jogo Barra x Jaraguá, pela Série B do Estadual, neste final de semana. Motivo: o Jaraguá não pagou débitos pendentes com a Justiça Desportiva. Apurei que o clube pediu parcelamento das pendengas e acabou não cumprindo a promessa. É nisso que eu falo que o futebol catarinense, via SC Clubes, precisa trabalhar para não macular ainda mais a imagem do futebol em Santa Catarina: o Barra vai ganhar um 3 a 0 de graça por causa do calote de um dos seus associados.



quarta-feira, 19 de julho de 2017

19/07 - A Arapuca criada

A ARAPUCA

Quem viu Inter x Luverdense, e quem vai ver o que aconteceu no Beira-Rio, terá pensamentos diferentes. Do lado de lá do Rio Mampituba, há uma corrente gigantesca de defesa da arbitragem, cujo assistente violou toda e qualquer regra que ele aprendeu na escola: mesmo se tivesse se arrependido do impedimento (existente), deveria seguir atrás do lance e, em caso de gol, corrido para a linha central. Não fez nada disso, ficou parado feito um poste e pior, invadiu o campo.

Por mais que os comentaristas ex-árbitros defendam a legalidade do gol que para mim não se sustenta, pois Pottker, mesmo se não tivesse participado do lance (para mim participou), ajudou a atrapalhar a zaga do Luverdense, é inegável que o assistente panaca fez toda a lambança. Pior: abre-se aí uma brecha para que alguém com más intenções faça igual, levantando a bandeira para parar a defesa adversária, não fazer qualquer tipo de reação de seguir no lance. 99,9% dos times parariam. O Inter pararia em situação igual. O discurso de bonzinho é puro trash talk.

E o resultado pode ter sido bom para o Inter na tabela. Mas é muito ruim no aspecto técnico. O time não jogou absolutamente nada e não merecia ter vencido de forma alguma.


INFELIZ

E para completar a noite em Porto Alegre, o técnico Guto Ferreira respondeu pergunte de uma repórter com um "você é mulher e nunca deve ter jogado". Sem mais comentários.


O GRÁFICO

O Juliano Fossá, de Chapecó, me envia esse gráfico bem interessante sobre o desempenho da Chapecoense comparado em todos os anos que disputou a Série A do Brasileiro. Mesmo com os altos e baixos do time, troca de técnico e muitas incertezas em cima da qualidade do elenco, a Chape tem desempenho bastante similiar ao do ano passado, quando não passou apuros para escapar do descenso. Neste mesmo ponto do campeonato, o time tem exatamente a mesma campanha do ano passado, faltando seis para igualar a campanha do primeiro turno de 2016. O desempenho é bem superior ao de 2014 e apenas um ponto abaixo de 2015, o melhor deles, quando o técnico era Vinicius Eutrópio. Ou seja, nada está perdido nem fora de controle. O histórico demonstra.


CONTRA O LÍDER

O Avaí desafiará todas as estatísticas nesta noite contra o Corinthians, líder invicto do Brasileirão. O time encontrou um empate em Salvador que deve ser valorizado. Mas nesse confronto pesa a regularidade e a qualidade do futebol do time paulista, que tem maior volume de jogo. O Avaí tem a possibilidade de surpreender, remota mas tem. É aquela história: existem jogos e jogos, e as vitórias obrigatórias precisam aparecer contra os times que brigam embaixo da tabela. Se o time tirar a camisa da responsabilidade, poderá tentar surpreender.

REFORÇO?

Ainda falando em Avaí, o time anunciou o atacante Maurinho, que apareceu bem no Metropolitano e teve passagem rápida no Criciúma. Não tenho notícias do que ele fez nos últimos anos, e isso é ruim, pois se fosse bom apareceria com destaque. Penso que um clube precisa contratar, a essa altura do campeonato, alguém que entre para jogar, e não faça número no banco. Pra isso já tem gente.

IRRECONHECÍVEL

O Criciúma encerrou sua invencibilidade jogando nada em Varginha. O Boa abriu o placar no início, soube segurar, e contou com uma lambança do goleiro Edson para garantir a vitória. Pontos importantes perdidos numa tentativa de se aproximar do G4.